Escritora alemã Christa Wolf morre aos 82 anos

Christa Wolf, uma das escritoras mais celebradas da Alemanha por suas descrições da vida no antigo Leste comunista, morreu em Berlim aos 82 anos, informou a editora Suhrkamp nesta quinta-feira.

REUTERS

01 de dezembro de 2011 | 15h47

Marxista comprometida na juventude, Wolf centrou seus romances - como "Divided Heaven", "Cassandra" e "The Quest for Christ T." - na vida no Estado socialista, explorando seus ideais e o papel do indivíduo. Mais tarde, teve a imagem comprometida pelas revelações de que colaborou com a polícia secreta.

Ela ficou cada vez mais crítica com relação à Alemanha Oriental e se uniu ao coro de pedidos por reforma em 1989, que acabaram levando à queda do Muro de Berlim. Wolf esperava, no entanto, que ainda pudesse haver um futuro independente para o Estado, adotando uma forma mais humana de socialismo.

Depois da reunificação alemã, Wolf foi criticada por não ter sido mais crítica à repressão da Alemanha Oriental e por ter deixado o Partido Socialista Unificado apenas em 1989.

Também foram divulgados detalhes de como ela passou informações à polícia secreta Stasi entre 1959 e 1962, que prejudicaram sua reputação, uma vez que ela própria escrevia sobre estar sob vigilância.

(Reportagem de Alexandra Hudson)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEALEMANHACHRISTAWOLF*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.