Escritor israelense é ferido em atentado contra sua casa

Perto de Ze'ev Sternhell polícia acha panfletos oferecendo dinheiro a quem matar membros da ONG Peace Now

EFE,

25 de setembro de 2008 | 16h06

A polícia de Jerusalém encontrou panfletos no local no qual o escritor e professor israelense Ze'ev Sternhell foi atacado na noite da última quarta, 25. Nestes panfletos são oferecidos mais de 200 mil euros para quem matar membros da ONG pacifista Peace Now. Sternhell, defensor da paz com os palestinos, ficou levemente ferido após a explosão de uma bomba de fabricação caseira em frente a sua casa em Jerusalém, informou a imprensa local. A explosão aconteceu quando Sternhell saiu da casa para fechar um portão, por volta da 1h hora local (19h de quarta, horário de Brasília), ferindo as pernas do escritor, que foi transferido imediatamente para o hospital Shaare Zedek. A polícia acredita que o ataque tem motivos ideológicos e que pode ter sido realizado por algum grupo de extrema-direita, possivelmente vinculado ao movimento dos colonos. Os panfletos foram encontrados do lado de fora da casa de Sternhell e nas ruas adjacentes. Após encontrarem os anúncios, as forças de segurança aumentaram a proteção em torno da casa de Yariv Oppenheimer, secretário-geral do Peace Now, principal organização pacifista de Israel e criada há 30 anos. Antes da divulgação da existência dos panfletos, Oppenheimer afirmou em resposta ao atentado que a "extrema-direita é um perigo existencial para a democracia israelense". No mesmo sentido se expressou o líder do partido pacifista Meretz, Yossi Beilin, que interpretou o incidente como o "resultado de olhar o outro lado frente à violência contra os soldados, a Polícia e qualquer um que não tenha as mesas idéias que a intimidadora direita radical". A ministra de Assuntos Exteriores de Israel, Tzipi Livni, encarregada de formar o novo Governo, chamou o incidente de "intolerável". O ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, afirmou que não permitirá que ninguém de "nenhum rincão obscuro da sociedade israelense persiga as pessoas" que, como Sternhell, "faz ouvir sua voz clara, lúcida e singular". Nascido na Polônia há 73 anos, Sternhell é professor da Universidade Hebraica de Jerusalém. Além disso, é considerado um dos maiores especialistas do mundo em fascismo e recebeu este ano o Prêmio Israel por sua dedicação às pesquisas no campo das ciências políticas. Colaborador habitual do famoso jornal Ha'aretz, é conhecido por suas duras críticas aos colonos israelenses, que meses atrás apelaram ao Tribunal Superior de Justiça para tentarem impedir que Sternhell recebesse o Prêmio Israel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.