Divulgação
Divulgação

Escritor Ilija Trojanow é impedido de embarcar de Salvador para os EUA

Autor está no Brasil, onde lançou livro, e atribui proibição a críticas à Agência de Segurança Nacional

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

01 de outubro de 2013 | 15h58

Atualizado às 22h45.

De passagem pelo Brasil para o lançamento de seu romance Degelo (Companhia das Letras), o escritor alemão de origem búlgara Ilija Trojanow, de 48 anos, foi impedido, na segunda-feira, 30, de embarcar em Salvador num voo da American Airlines rumo aos Estados Unidos para um encontro acadêmico. “Não me deram nenhuma razão ou explicação”, disse o escritor ao Estado.

Em texto publicado na terça, 1.º, pelo jornal Frankfurter Allgemeiner, ele comenta que suas críticas ao escândalo de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA) teriam motivado a proibição de sua entrada no País e conta em detalhes sua passagem pelo aeroporto de Salvador, quando uma funcionária da companhia aérea teria dito que seu caso era “especial”.

Já no aeroporto do Rio, no início da noite, enquanto esperava para embarcar de volta à Alemanha, o escritor afirmou que tinha um visto válido. “Eu me sinto prejudicado no meu trabalho de escritor e jornalista porque eu estava viajando para um grande colóquio sobre literatura alemã, onde eu seria um dos conferencistas.” Sobre o motivo da proibição do embarque, disse: “Eu só posso especular: não sou o primeiro jornalista crítico que foi incomodado pelas autoridades americanas. Qualquer que seja a razão, tal arbitrariedade não é aceitável numa sociedade democrática.”

Procurado pelo Estado, o Consulado Geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro respondeu, por meio de sua assessoria de imprensa, que não se pronuncia sobre casos específicos de visto. Por meio de sua assessoria de imprensa, a American Airlines informou que o "ESTA (Electronic System for Travel Authorization, programa de identificação de passageiros portadores de passaportes de países que não necessitam de visto, caso da Alemanha) não foi autorizado". "Com isso, não foi possível autorizar o embarque do passageiro. A companhia não tem conhecimento do motivo pelo qual o ESTA foi negado."

Trojanow vai tentar viajar de novo para os Estados Unidos e diz que pretende descobrir por que está na lista negra. Este não foi o primeiro problema do autor com o país. No artigo do diário alemão, ele contou que no ano passado solicitou um visto – que foi negado – para atuar como professor convidado da Universidade de Washington em St. Louis. Depois de protestos da universidade, o visto foi concedido.

O alemão é, ao lado de Juli Zeh, autor de Angriff auf die Freiheit (Ataque à Liberdade), de 2009. O livro traz o subtítulo Obsessão Com a Segurança, Estado de Vigilância e o Desmantelamento dos Direitos Civis, assunto caro ao autor que já publicou artigos sobre o tema e que é coautor de carta aberta à chanceler alemã Angela Merkel, na qual questiona a posição do governo alemão acerca da questão da espionagem americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.