Escritor doa prêmio de US$ 100 mil aos vira-latas

O escritor colombiano Fernando Vallejo, que este ano foi o ganhador do prêmio internacional de literatura Rómulo Gallegos doou o valor do prêmio de US$ 100 mil para fundações protetoras dos vira-latas. Vallejo, de 61 anos, declarou nesta quarta-feira que decidiu dar um uso filantrópico ao prêmio e doá-lo para a Associação Protetora dos Animais e para a organização Mil Patas, que cuida dos animais abandonados nas ruas. Vallejo ganhou a 13.ª edição do Prêmio Rómulo Gallegos, um dos mais prestigiosos da América Latina, com seu romance ElDesbarrancadero, que conta a história de um homem que volta a Medellín para velar a agonia de seu irmão doente de aids.O escritor receberá o prêmio no sábado, data em que se comemora o nascimento do premiado escritor e ex-presidente venezuelano Rómulo Gallegos.O romancista, natural de Medellín e radicado há três décadas no México, assegurou que não tem conseguido livrar-se da Colombia. "Tenho querido, mas não tenho podido, estou condenado".Apesar de sua obra estar impregnada da história violenta da Colômbia, ele prefere referir-se ao seu país como um lugar "muito otimista" que tem uma "vocação para a felicidade que não há em nenhum lugar do mundo". E afirmou em uma entrevista coletiva: "Se em algum lugar existe momentos de felicidade é na Colômbia". A produção literária de Vallejo, que inclui obras como El Río del Tiempo, Años de Indulgencia, El Mensajero, EntreFantasmas e La Virgen de los Sicarios, que adaptada para o cinema e o converteu em um dos escritores mais importantes da cena literária colombiana contemporânea. Com a publicação no ano passado da obra La Rambla Paralela, Vallejo anunciou sua retirada da literatura depois de quase 18 anos de atividade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.