Escritor britânico Howard Jacobson ganha Booker Prize

"Estou sem palavras", comentou o escritor britânico Howard Jacobson, logo depois de ganhar, na noite de terça-feira, o Man Booker Prize, o mais prestigioso prêmio literário concedido na comunidade de língua inglesa. Ele venceu com o romance "The Finkler Question", batendo favoritos como o australiano duplamente vitorioso Peter Carey e o britânico Tom McCarthy, que liderava a bolsa de apostas. Apesar de iniciado por uma frase previsível, o discurso de Jacobson logo enveredou para terrenos mais férteis. "Felizmente, tenho um preparado. Foi escrito em 1983, ou seja, a espera foi muito grande."

AE, Agência Estado

14 de outubro de 2010 | 09h04

Aos 68 anos, Jacobson já escreveu 15 romances, todos com um toque de humor e a maioria abordando temas judeus. "The Finkler Question", segundo ele, é uma comédia sobre tristeza e perdas. O livro acompanha a trajetória de Julian Treslove, um ex-produtor de rádio da cadeia pública britânica que muda de identidade depois de ser atacado a caminho de casa. "Minha intenção é fazer o leitor chorar e gargalhar ao mesmo tempo", disse, logo depois do anúncio de seu nome no Guild Hall, em Londres.

A conquista já produziu dividendos - tão logo a notícia se tornou pública, a editora Bloomsbury, que lançou o livro, anunciou que vai reimprimir outras 50 mil cópias de "The Finkler Question". Uma cifra respeitável, uma vez que, até então, a obra só vendera 8.300 exemplares. Não é a primeira vez que o Booker Prize provoca tal efeito: em 2008, a vitória do indiano Aravind Adiga catapultou seu "O Tigre Branco" de uma cifra inferior a mil exemplares para 527 mil.

"Esperei muito tempo para vencer", disse Jacobson, sem falsa modéstia. "Estava cansado de ser subavaliado, mas confesso estar verdadeiramente espantado. Houve muita amargura, mas já terminou. Esperei cerca de 30 anos até chegar a este momento." Ele também concordou com as comparações de sua escrita com as de Philip Roth e Jane Austen. "Concordo que meu livro seja em parte cômico, mas, penso como um romance em quadrinhos, pois, para mim, ser um autor de quadrinhos é ser sério." Perguntado sobre sua próxima obra, Jacobson disse que estava trabalhando em um livro sobre um escritor sem sucesso, mas que pode ter de mudar agora. Ele teve outras duas obras relacionadas pelo Booker ("Kalooki Nights", em 2006, e "Who?s Sorry Now", em 2002), mas nenhuma delas foi finalista. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.