Escritor argentino Eloy Martínez é premiado em Portugal

O escritor argentino Tomás Eloy Martínez recebeu o prêmio de criação literária da 1.ª Casa de América Latina em Portugal pelo romance O Vôo da Rainha (Soberba), também premiado na Espanha, foi publicado no Brasil em 2002 com o título O Vôo da Rainha (Soberba) (Ed. Objetiva). Eloy Martínez afirmou que "os livros seguem povoando os sonhos da espécie humana. Para uns significam conhecimento e, para outros, liberdade". O escritor disse ainda que durante a primeira metade de 2001 chegou a pensar que O Vôo da Rainha (Soberba) era um livro condenado a morrer antes de nascer, pois estava na página 120 quando fez um exame de rotina e o médico avisou que tinha apenas mais seis meses de vida."O episódio mudou a primeira versão do livro (que começou a ser escrito em 1998), que tinha personagens e tons que nada tem a ver com o romance definitivo", disse o autor. Antes do susto, em novembro de 2000 foi atropelado com sua mulher por um automóvel e ela morreu na hora. "Durante vários meses, fiquei em estado de choque. Escrever era um trabalho de Sísifo e pensei que nunca recuperaria o impulso para retomar o romance", revelou.Em julho do ano seguinte, no entanto, o escritor contou que "quando mais longe se sentia da felicidade", se apaixonou por uma mulher e com ela aprendeu a viver outra vez, como indica a dedicatória de O Vôo da Rainha. Eloy Martínez recebeu o prêmio do prefeito de Lisboa, Antonio Carmona Rodrigues, que qualificou o escritor como "um dos grandes autores da literatura latino-americana". O prêmio oferece ao vencedor 10 mil euros. Concorreram 33 obras de escritores do Brasil, de Cuba, do Chile, da Colômbia, do Peru, do Uruguai e da Argentina, publicadas por diferentes editoras portuguesas. Tomás Eloy Martínez, autor de Santa Evita (1995), é atualmente professor da Universidade Rutgers, em New Jersey, e diretor do Programa de Estudos Latino-americanos da mesma instituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.