Escritor afirma que primeiro vampiro veio da Croácia

O primeiro vampiro cujas atividades sanguinárias foram registradas por escrito não veio da Transilvânia, região da atual Romênia, mas foi Jure Grando, da pequena aldeia de Kringa, na península croata de Istria, assegura nesta quarta-feira o jornal Globus, de Zagreb. "Jure Grando é sem dúvida o vampiro mais antigo registrado na Europa, com nome e sobrenome", assegurou ao jornal o escritor croata Boris Peric.Peric reconstruiu em seu romance Vampiro os dados históricos, assim como a lenda popular sobre o vampiro Grando e seu voluptuoso e perverso apetite sexual. Ele afirma que Grando, mau já em vida, aterrorizou após morrer, como vampiro, durante 16 anos seus vizinhos de Kringa e especialmente sua viúva, até que, em uma noite de 1672, vários homens se juntaram para retirar seu cadáver do túmulo e lhe cortar a cabeça.Tudo isso, segundo Peric, foi registrado e anotado pelo cronista esloveno Janez Vajkard Valvazor, e inspirou escritores como Byron, le Fanu e Stoker (autor do Conde Drácula).Na pequena localidade de Kringa, em Istria, existe o café Vampiro, onde são servidos coquetéis "vampiros" e o vinho "Jure Grando". Além disso, a cada mês são realizados encontros de literatura sobre vampiros e outros eventos culturais dedicados ao personagem sanguinário.O túmulo de Grando não foi preservado mas, segundo Peric, há um túmulo em Kringa que "ninguém nunca toca nem registra nos papéis ou planos", que deve ser o seu.Peric acredita em vampiros e considera que sua versão moderna mais comum são os "fastidiosos sugadores da energia vital alheia que cada um de nós conheceu ao menos uma vez".

Agencia Estado,

19 de julho de 2006 | 18h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.