Escrever um livro em apenas 24 horas

O escocês Brian Dillon, autor de Os Hipocondríacos - Vidas Atormentadas (Tinta Negra), vai ter um desafio e tanto no próximo sábado, dia 10 dezembro. Às 10 horas, na sede da revista Cabinet, em Nova York, ele começará a escrever um livro e terá apenas 24 horas para terminá-lo. Pontualmente às 10 horas, essa obra, que deve ter cerca de 48 páginas e cujo tema ainda é um mistério, será mandada para a gráfica. Nesse momento, um grupo de estudantes da Universidade de Princeton vai receber o livro por e-mail e terá o prazo de 24 horas para ler e preparar uma resenha. Feito isso, começa, às 10 horas da segunda-feira, a tarefa dos editores e dos diagramadores: transformar essas resenhas em uma outra publicação impressa. O material entra na gráfica às 16 horas para ser distribuído, meia hora depois, em um simpósio organizado pela universidade americana para discutir o livro e o resultado da experiência literária.

O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2011 | 03h08

O Brasil também já promoveu iniciativas desse tipo. Uma das mais expressivas começou no dia 16 de junho de 2008, quando Moacyr Scliar publicou o primeiro capítulo de um livro na internet e deixou um convite para que os internautas continuassem a história. Durante o mês em que o projeto O Livro de Todos ficou no ar, o site recebeu 14 mil visitas. O resultado foi um livro escrito por 173 autores, anônimos ou conhecidos. A iniciativa foi da Câmara Brasileira do Livro, mas quem organizou todo o livro foi o jornalista Almyr Gajardoni e sua equipe da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. A sessão coletiva de autógrafos, realizada na Bienal do Livro de São Paulo naquele mesmo ano, foi das maiores de que se tem notícia, com autores de várias partes do Brasil.

DIGITAL

Oportunidade desperdiçada

São Paulo bem poderia ter sido a sede da primeira edição do TOC América Latina, o mais importante congresso internacional sobre o livro digital realizado anualmente em Nova York e em Frankfurt. A Câmara Brasileira do Livro (CBL), que já organiza seu próprio seminário sobre o assunto, foi procurada, mas quem levou foi Buenos Aires. "Não era interesse deles juntar os dois congressos e não era interesse da CBL deixar de fazer o seu, que chega à terceira edição em 2012 e está consolidado", diz Karine Pansa, presidente da entidade. Ela ressalta que o TOC é "importantíssimo" - de fato, participam dele os profissionais mais atuantes do mundo na área. Mas Karine considera que o Brasil ainda não comporta dois eventos desse porte.

LIVRARIAS

Salvem as independentes

Diretores da Associação Nacional das Livrarias se reúnem na quinta-feira, em Brasília, com Fabiano Piúba, da Diretoria de Livro e Leitura do Ministério da Cultura, e com a deputada federal Fátima Bezerra (PT-RN), da comissão de Educação e Cultura. Eles vão reivindicar um esforço na criação da lei do preço fixo para livro e uma flexibilidade maior do BNDES nos financiamentos que faz para a abertura de novas livrarias - hoje, segundo a entidade, só são apoiados projetos acima de R$ 1 milhão, beneficiando apenas as grandes redes. A ideia é pedir ainda que as livrarias sejam priorizadas no projeto do livro popular, que prevê vendas em pontos alternativos. O argumento: se a livraria não pode vender leite, por que a padaria venderia livro?

BIOGRAFIA

A história de T.S. Eliot

Escrita em 1971 pelo historiador Russell Kirk (1918-1994), a biografia literária T.S. Eliot - A Imaginação Moral do Século XX é tida como a melhor introdução à vida e à obra do poeta americano. Esta semana, a É Realizações lança a edição brasileira da obra e traz Annette Kirk, a viúva do autor e presidente do Russel Center for Cultural Renewal, para palestras com o historiador Alex Catharino em São Paulo (quinta-feira) e no Rio (sábado).

ROMANCE

Paloma Vidal na Rocco

Agora que terminou a tradução de A Legião Estrangeira, de Clarice Lispector, para a argentina Corregidor, Paloma Vidal volta ao seu romance Mar Azul. Trata-se da história de uma filha que encontra os cadernos do pai morto e começa a reconstruir a história dos dois, argentinos que emigram para o Brasil em épocas diferentes. Sai em setembro e marca sua estreia na Rocco.

MERCADO

Heloisa Jahn na Cosac Naify

Tradutora de importantes autores como Charles Dickens, Jorge Luis Borges, Doris Lessing e tantos outros, Heloisa Jahn, que era também editora da Companhia das Letras, assume agora novo desafio: passa a integrar o time de editores da Cosac Naify.

ARTE

Paulista vai virar Amazônia

Na inauguração, em 15 de dezembro, do novo espaço dedicado a livros de artes que a Livraria Martins Fontes abrigará em sua loja da Avenida Paulista, a Metalivros lança Grandes Expedições à Amazônia Brasileira: Século XX, de João Meirelles Filho. São mais de 250 imagens que retratam as viagens de Claude Lévi-Strauss e outros.

INTERNET

Leituras Sabáticas com Almino

O escritor e cônsul-geral do Brasil em Madri, João Almino, lê trechos de seu premiado romance Cidade Livre (Record) no Leituras Sabáticas que vai ao ar hoje. Veja em: estadão.com.br/almino.

MARIA FERNANDA RODRIGUES

mariaf.rodrigues@grupoestado.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.