Divulgação
Divulgação

'Escola de Mulheres', nova montagem do texto de Molière

Oscar Magrini interpreta um quarentão mulherengo no texto de diálogos ácidos e engenhosos

estadao.com.br,

19 de março de 2010 | 05h00

Em 1984, a montagem de um texto de Jean-Baptiste Molière foi marcante para a carreira do diretor Roberto Lage. Vinte e seis anos depois, ele continua achando que Escola de Mulheres é atual. Mas a peça foi escrita em 1662.

 

Nesta montagem, Oscar Magrini interpreta Arnolfo, um quarentão que sempre se envolveu com mulheres comprometidas por um incorrigível medo de ser traído.

 

Ele adota Inês (Thais Pacholek), que manteve em um convento para resguardá-la das ‘malícias’ da sociedade. Mas a jovem se apaixona por Horácio (Erick Marmo), filho de um amigo. Os diálogos ácidos e engenhosos, marca registrada de Molière, devem fazer você rir e pensar.

 

Teatro Vivo (290 lug.). Av. Dr. Chucri Zaidan, 860, Morumbi, 7420-1520.

90 min. 12 anos. 6ª, 21h30; sáb., 21h; dom., 19h. R$ 40/R$ 50. Até 30/5.

Tudo o que sabemos sobre:
'Escola de Mulheres'

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.