ERUDITOO trompete no século 20, em forma de concerto

ALISON BALSOM

O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2012 | 03h08

SERAPH

Gravadora: EMI Classics

Preço médio: US$ 9,99

BOM

Como solista de concerto, o trompete só se emancipou depois da invenção dos pistões, em 1815, quando passou a emitir toda a gama cromática. Mesmo nos séculos 18 e 19, não é grande o volume de obras concertantes para o trompete. Por isso, Alison Balsom aventura-se no repertório contemporâneo, interpretando em alto nível três concertos, do escocês James Macmillan, do alemão Bernd Alois Zimmerman e do armênio Alexander Arutiunian. Macmillan faz sucesso na Inglaterra - um pouco por seu espiritualismo declarado, outro tanto por usar e abusar da linguagem tonal. Seu concerto tem um Adagio central interessante. Mais contemporâneo é o denso concerto de Zimmermann, de 1954, que mistura jazz e humor com elementos sombrios e fiapos de canções. O terceiro, de Arutiunian, de 92 anos, é o mais popular concerto para trompete do século 20. Duas peças curtas completam o CD: na rara peça erudita para trompete solo, Paths, do japonês Toru Takemitsu, Balsom dá show de sutileza e refinamento. A derradeira brinca, em belo arranjo, com o spiritual Nobody Knows the Trouble I've Seen. / J.M.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.