Reuters
Reuters

Equipe de restauradores estudará nesta segunda-feira 'Ecce Homo' espanhol

Prefeitura de Borja ainda não tomou nenhuma decisão sobre o futuro da obra 'restaurada'

EFE

26 de agosto de 2012 | 19h08

Uma equipe de restauradores profissionais irá nesta segunda-feira ao santuário espanhol de Nossa Senhora da Misericórdia de Borja (Zaragoza) para analisar o estado em que se encontra a tentativa de restauração do Ecce Homo, que deu a volta ao mundo pela internet e dominou as redes sociais.

O prefeito de Borja, Francisco Miguel Arilla, afirmou em declaração à Agência Efe que a prefeitura não tomou nenhuma decisão sobre o futuro da restauração que Cecilia Giménez fez do Ecce Homo pintado pelo artista Elías García Martínez em um dos muros da igreja do santuário no início do século XIX.

Arilla acrescentou que prefere esperar os relatórios técnicos da equipe, que já colaborou com o Consistório de Borja na restauração de outras obras, para tomar uma decisão a respeito.

Durante a semana, chegará à cidade uma segunda equipe de restauradores, do governo estadual, para fazer outro estudo da intervenção e oferecer possíveis soluções. Os profissionais foram disponibilizados pela secretária de Cultura, María Dolores Serrat, na sexta-feira.

A expectativa no santuário continua e de fato neste domingo, 26, centenas de pessoas voltaram a lotar a igreja com o objetivo de ver a restauração e fazer uma foto com a obra, reconheceu o prefeito.

Quanto ao estado de Cecilia Giménez, Arilla disse que está melhor e muito mais tranquila depois que, neste sábado, vários vizinhos e amigos foram vê-la e ofereceram todo o apoio e carinho, enquanto uma romaria anual atraiu ao santuário milhares de pessoas.

Hoje mesmo, a Associação de Moradores do Santuário de Misericórdia de Borja emitiu um comunicado no qual dá "todo o apoio e reconhecimento" a sua vizinha Cecilia Giménez e solicita à Prefeitura "que mantenha a pintura do Ecce Homo no estado atual", levando em conta "o apoio majoritário dos membros e de inúmeros cidadãos que se manifestaram em várias redes sociais".

Além disso, a associação manifestou sua intenção de "propor iniciativas à prefeitura de Borja para conduzir de forma positiva" o caso.

Por fim, acrescenta que a Associação se sentiria "muito honrada" se, dentro da atividades culturais do órgão, "Cecilia Giménez expusesse sua obra pictórica". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.