Dylan Martinez|Reuters
Dylan Martinez|Reuters

Ennio Morricone está à espera do Oscar pela sexta vez

Uma justiça pode ser feita ao autor dos temas de 'Os Oito Odiados'

Marie-Louise Gumuchian, REUTERS

21 de fevereiro de 2016 | 03h00

LONDRES - Ennio Morricone, indicado pela sexta vez ao Oscar, agora pela trilha sonora do filme de Quentin Tarantino, Os Oito Odiados, espera desta vez conseguir uma vitória no prêmio. O compositor italiano, de 87 anos, disse em entrevista à Reuters ter sido indicado para o Oscar por trilhas compostas para filmes como Bugsy e Os Intocáveis, mas talvez tenha sido a derrota no caso do aclamado filme A Missão, quando Herbie Hancock abocanhou o prêmio pela trilha de Por Volta da Meia-Noite, a mais sentida.

“Não tenho certeza de que o prêmio virá, de modo que vou tranquilo, sereno, esperando que tudo correrá bem”, disse o maestro nascido em 10 de novembro de 1928, que recebeu um prêmio honorário da Academia em 2007 pelas “suas contribuições magníficas e multifacetadas para a arte da música para filmes”.

A música composta por ele para Os Oito Odiados já conquistou um Globo de Ouro e o prêmio do Bafta britânico, que recebeu em Londres, na terça-feira, dia 16, uma vez que não pode comparecer à cerimônia oficial devido a compromissos já assumidos.

“É formidável e inesperado porque, nesse meu tipo de trabalho, você não pensa nas consequências positivas ou negativas”, contou ele. “Em termos gerais, não existem consequências negativas. Mas, às vezes, pode haver. O filme pode não ter sucesso ou as pessoas não gostarem da música. Mas, desta vez, tudo foi bem, graças a Deus. Estou feliz, entusiasmado”, admitiu Morricone, que também é arranjador.

Antes da cerimônia do Oscar, marcada para o dia 28 de fevereiro, Morricone será homenageado com uma estrela na Calçada da Fama, com Tarantino entre os oradores convidados para a cerimônia.

Nascido em Roma, o músico começou sua carreira de compositor de trilhas sonoras para cinema em 1961, com o filme Il Federale, dirigido por Luciano Salce e, desde essa época, compôs para mais de 450 filmes.

Ennio Morricone tem fãs de todas as gerações que curtem as músicas compostas por ele para filmes como Por Um Punhado de Dólares, e Três Homens em Conflito, com o diretor Sergio Leone.

Na terça-feira, na cerimônia realizada em Londres, houve um concerto com músicas extraídas de trilhas sonoras desses filmes e outros, como Era uma vez no Oeste, que o público aplaudiu entusiasticamente.

“É difícil explicar isso porque, às vezes, tudo o que você precisa é de uma ideia que, ao ser desenvolvida, se transforme em alguma coisa. Às vezes, não existe absolutamente nenhuma ideia e, quando você menos espera, ela surge. E não sei como, é um mistério”, acrescentou o compositor. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Quase lá

Além de chegar à disputa com ‘Os Oito Odiados’, Enio Morricone já foi indicado pelos filmes 'Cinzas no Paraíso', 'Os Intocáveis', 'Bugsy', 'A Missão' e 'Malena'. Mas o páreo sempre foi duro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.