Endereço único para comprar e comer

A receita não é nova, mas continua saborosa e acaba de ganhar novos ingredientes. Aliar o prazer de comprar roupa e o de comer bem é uma sedução para os sentidos - e a indústria da moda usa esse apelo com muita desenvoltura para fisgar clientes pela visão, tato, olfato e paladar. Não há notícia de restaurante que tenha mudado sua vocação e instalado araras entre as mesas. Mas não faltam endereços nascidos nas máquinas de costura que resolveram aplacar também o apetite da clientela, como o Uma Refeitório e o Café V, da VivaVida. Nos dois casos, primeiro veio a moda, depois a culinária. A novidade é que agora as lojas já nascem com o propósito de unir o mundo fashion à gastronomia. "Sempre tive o pé nas duas canoas, e queria abrir uma loja que tivesse um pouco de cada", confessa Adriana Dias, uma das sócia da recém-inaugurada Vila Bia. Em uma casa na Vila Beatriz - bairro entre a Vila Madalena e o Alto de Pinheiros -, Adriana instalou seu conceito de bem servir para comer e comprar. Natural de Janaúba, cidade a 120 km de Montes Claros, em Minas Gerais, ela sempre flertou com o comércio. Aos 16 anos abriu uma loja de calçados. Logo depois teve um bufê. Agora, resolveu unir as duas atividades. Para isso, contou com o apoio do sócio Eduardo Kahtalian, apreciador da boa gastronomia, e da chefe Giselle Makinde, que elaborou o cardápio. As comidas são leves e baratinhas. As quiches - de cogumelos com queijo fresco, de tomate seco com rúcula ou a de ricota com espinafre e nozes - custam R$ 4, e podem ser acompanhadas de saladas. Há sucos para curiosos, como o de cupuaçu com tangerina (R$ 3) e limonada com capim santo (R$ 3). Para o almoço, além do menu fechado, há sempre uma sugestão do chefe, como o rosbife e a omelete com salada. "Tem também umas receitas minhas, como o biscoitinho que era da minha avó, trufas, alguns mimos mineiros que fazem bem para a alma da gente", diz, em tom de convite. A moda à venda na Vila Bia é variada - o que para um olhar mais crítico pode resultar em uma proposta irregular. Ela faz um garimpo de estilistas e marcas sem fama no circuito Rio, Belo Horizonte e Juiz de Fora e visita ainda algumas grifes do sul e procura oferecer peças quases exclusivas, no máximo uma ou duas de cada modelo. Tem para magrinhas, gordinhas, jovens, maduras ou idosas. Isso significa que ao lado de camisetas e jeans bordados são encontrados modelos estampados senhoris. Os preços são de butique, mas não assombram. Uma t-shirt bordada de Inês Guimarães chega a R$ 158. O jeans custa R$ 256. A calça com cinto de fitas da mineira Iorani vale R$ 239,90. Uma sandália rasterinha com pedras custa R$ 85. As bijuterias têm preços bem acessíveis, na faixa de R$ 50. A Dasloca, que mudou de endereço há cerca de um mês, chegou à nova casa com o objetivo de vender modelos para modernos e forrar o estômago da galera. No térreo do sobrado da Mourato Coelho funciona um café, com mesinhas que convidam a um bate-papo. Eliana Castro, uma das idealizadoras do projeto, já avisou que pretende incrementar o cardápio com refeições rápidas e até um nhoque da sorte, todo dia 29, como reza a tradição. No segundo andar funciona a loja que segue o conceito "quarto da melhor amiga". O cliente fica à vontade para se servir nas araras e cabides, em um menu que tem de brincos a bolsas, de blusas a vestidos, sempre de jovens talentos que ainda não tiveram uma chance de aparecer. As peças podem vir de uma comunidade indígena no Mato Grosso ou de ateliês escondidinhos no Rio ou Curitiba. Um dos pioneiros neste namoro entre moda e comida, o Café V é elegante e discreto, assim como as coleções da VivaVida, onde está instalado. O espaço tem a seu favor a localização: fica no mezanino da loja, o que garante privacidade sob medida. Já no Uma Refeitório, a mesa coletiva - tipo refeitório de fábrica - e o balcão sugere exatamente o contrário: o ambiente é propício para fazer amigos. O restaurante é decorado com utensílio de cozinha, tudo bem chique e clean, igualzinho às roupas assinadas pela estilista Raquel Davidowicz - que também estão à venda no espaço. Serviço: Vila Bia: R. Isabel de Castela, 551, tel.: 3814-0405. Dasloca: R. Mourato Coelho, 1.343, tel. 3814-3044/4044. Café V: R. Oscar Freire, 969, tel. 280-0421. Uma Refeitório: R. Girassol, 273, tel. 815-3201

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.