Empresário vai dirigir a "biblioteca de Borges"

O presidente argentino Néstor Kirchner nomeou dois empresários para dirigir a Biblioteca Nacional e o Fundo Nacional das Artes - a mesma biblioteca que foi dirigida durante décadas, por um dos maiores escritores do século 20, o argentino Jorge Luis Borges.Kirchner nomeou Elvio Vitali, fundador e diretor da livraria Gandhi, com vasta experiência na indústria do livro, para a biblioteca,. e Javier González Fraga, que presidiu o Banco Central no início da década de 90 e agora é diretor de uma empresa de produtos lácteos, para o Fundo.Os nomes foram anunciados na segunda-feira à noite, depois de vários boatos sobre a saída do secretário de cultura Di Tella, um sociólogo prestigiado e famoso por suas declarações bombásticas. Ele teria dito na semana passada que diante dos enormes problemas sociais e econômicos da Argentina, a cultura não era prioridade para o governo nem para ele. Mesmo depois disso, Di Tella, que já foi socialista, continua tendo o respaldo de Kirchner, com quem publicou um livro às vésperas das últimas eleições presidenciais, com as propostas do então candidato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.