Werther Santana/Estadão
Gravação de um curso online da confeiteira Saiko Izawa. Werther Santana/Estadão

Empreendedorismo com Anitta, gastronomia com Troisgros: conheça os cursos com famosos

Personalidades da música, gastronomia ou das artes cênicas viram professores em cursos online, ao vivo ou gravados: veja o que aprender com eles

Danilo Casaletti, Especial para o Estadão

24 de julho de 2022 | 05h00

“Gosto de bater o ovo para ter o controle do que cai (na batedeira). É o meu jeito”. A dica da renomada chef japonesa Saiko Izawa, que atualmente assina as sobremesas do hotel seis estrelas Rosewood São Paulo, vai estar no curso online que ela acaba de gravar para a Percursa – a previsão de lançamento é para o último trimestre do ano. Saiko vai entrar para o time de professores da plataforma que inclui outros grandes nomes da gastronomia, como o francês Claude Troisgros e os brasileiros Helena Rizzo e Rodrigo Oliveira. 

“O meu papel ainda é o de divulgar a confeitaria e elevar seu nível no Brasil”, diz a confeiteira ao explicar por que aceitou o convite para gravar as aulas. Membro do corpo docente da Le Cordon Bleu São Paulo, Saiko não sabe quando poderá dar cursos presenciais novamente, por conta de sua agenda sempre concorrida.

Cursos online com personalidades famosas não são uma novidade, especialmente no exterior. Por aqui, embora as plataformas já existissem, foi durante a pandemia que houve um crescimento, tanto na procura quando na quantidade de cursos disponíveis. Criada em 2017, a Percursa tem em seu catálogo mais de 40 cursos em diversas áreas. Só neste ano foram lançadas lições de arquitetura com Fernanda Marques, de roteiro com Bruno Mazzeo, de autenticidade com a cantora Gloria Groove, de bateria com Igor Cavaleira e de poesia com Bráulio Bessa. 

O plano anual, lançado recentemente, custa R$ 997 e dá acesso a todos os cursos e mais as estreias dentro do período de vigência da assinatura. Os professores, além de receberem uma luva no contrato, são remunerados pelas vendas de suas aulas. O porcentual varia de acordo com a procura. Os de gastronomia são os mais vendidos. Dos mais de 70 mil alunos, 40 mil procuraram por eles.

Juliana Geve, diretora de comunicação da Percursa, diz que o conteúdo das aulas é baseado em pesquisas de mercado. “Buscamos os professores de olho no que o mercado precisa. Eles são ídolos, têm seu estilo. Conversamos com eles para manter esse talento, mas atendendo às demandas do público”, explica.

Ela acredita que a procura por cursos ministrados por famosos se dá pelo desejo de se aproximar do profissional. “É querer pegar um pouco desse brilho, do sucesso. É a possibilidade de se melhorar como pessoa, de aprender com alguém que é uma inspiração”, diz.

Confeitaria com Saiko Izawa

Na gravação em que a reportagem do Estadão acompanhou em um estúdio profissional, Saiko ensinou como fazer uma torta amandine com farinha de castanha de caju torrada e abacaxi e um rocambole de matchá com ganache de cambuci. Nas aulas que vão compor o curso, a especialista também vai ensinar a fazer massa pâte à choux e pavlova com geleia de frutas. “Minhas receitas são clássicas”, diz, sempre objetiva.

Um módulo será dedicado às receitas fáceis de serem comercializadas. Foi assim que Saiko começou, há mais de 30 anos, quando não queria largar o papel de mãe e precisava ganhar seu sustento. “Fico feliz em ajudar. Meus assistentes já estão treinados. Agora, quero compartilhar o que eu sei”.

Gastronomia com Claude Troisgros

Em 19 aulas, o chef francês Claude Troisgros ensina receitas e truques da gastronomia franco-brasileira. Para explicar o conceito de suas aulas, o chef conta a história de sua família e da criação da nouvelle cuisine française, na qual seu pai e seu tio participaram. O movimento defendia que a cozinha tem “sentimento”.

Uma das receitas da nouvelle cuisine que Claude ensina é o salmão com azedinha (uma erva daninha). Ele ensina como cortar o salmão, e o segredo de dar leves batidas no corte para que a carne cozinhe de forma uniforme e rápida.

Em outra aula, o chef mostra como fazer diferentes tipos de caldos, uma das bases da culinária francesa. Um deles é feito com carne bovina. Claude mostra, por exemplo, que a cebola deve ser utilizada com casca. “Ela dá sabor e cor para seu caldo”, ensina. A opção vegetariana é feita com cogumelos.

O material de apoio traz as receitas completas e dicas práticas, entre elas, como congelar as receitas e qual o prazo de validade depois que elas são levadas ao congelador.

A mineira Luciana Alonso, 44 anos, há três anos faz comidinhas congeladas para vender para amigos e clientes indicados. Cursando o terceiro ano de nutrição, ela busca cursos livres para aprender a arte gourmet. Um dos cursos escolhidos por ela foi o apresentado pelo chef-celebridade Claude Troisgros. “Gosto que ele explica de forma técnica e, ao mesmo tempo, passa uma simplicidade em pratos que parecem difíceis para muitas pessoas. E o curso online te dá a chance de parar, voltar, fazer a receita novamente”, diz.

Um dos carros-chefes da empresa de Luciana é o picadinho de carne ao molho de vinho tinto, inspirado em uma receita do chef francês. “Lógico, eu pego a leitura dele e dou meu toque. É uma mistura de inspiração com criação”, diz ela, mostrando que aprendeu uma das principais lições da gastronomia e de Claude que, no curso, ensina que é preciso fazer evoluir o que você sente dentro de você.

Bateria com Igor Cavalera

Um dos fundadores da banda brasileira de metal Sepultura, Igor Cavalera, com quase 40 anos de carreira, diz, na aula inaugural, que a bateria (e a música) salvou sua vida. O curso, segundo ele, era um sonho antigo. Nele, o músico mostra como afina a bateria, explica as diferentes baquetas para cada tipo de afinação e a aborda a regulagem do pedal do instrumento. O material extra apresenta 16 apostilas, com mais de 200 páginas no total.

Na aula em que Cavalera aborda seu processo criativo, ele diz que tudo começou com a coleção de discos de seu pai, na qual ele encontrou um disco da banda britânica Black Sabbath e outro com sambas-enredo de escola de samba. Aos seis anos de idade, ele começou a fazer aulas de bateria.

“Eu uso o instinto como algo muito interessante quando eu estou compondo e na hora em que estou gravando. Isso é algo de sentir lá dentro o que eu quero passar para a bateria. Eu faço esse exercício direto: não pensar muito na técnica, mas sim na raça, no que eu quero transferir”, diz ele na aula.

Empreendedorismo com Anitta

A cantora Anitta, que atualmente é o principal destaque da música brasileira no exterior, virou case para um curso livre e a distância de empreendedorismo e inovação, oferecido pela universidade carioca Estácio de Sá.

O curso de 30 horas e dois módulos é conduzido por mestres e doutores na área. A artista ilustra as aulas contando, em primeira pessoa, sua experiência de carreira. Batizado de Anitta Prepara, o conteúdo custa R$ 649.

“Anitta veio do subúrbio carioca. Sua história também é do ‘corre’, como se diz por aí. Mas ela sabia que precisava se diferenciar e, por isso, decidiu construir um personagem. Assim nasceu Anitta. Um nome forte, capaz de ser falado em diferentes idiomas, e que poderia construir uma narrativa poderosa para levar o funk a nível internacional”, diz Eduardo Guedes, diretor de marketing da Estácio, ao justificar a associação da cantora ao curso.

Guedes diz que a instituição pretende lançar outros cursos associados a artistas. “Nosso propósito é promover a educação para todos, transformando a vida das pessoas e, por isso, acreditamos que as iniciativas com personalidades ajudam a desmistificar alguns assuntos que parecem complexos”, diz.

Inspiração com Jorge Barcelos

O cantor Jorge Barcelos, que forma dupla com Mateus, transformou em curso – que, na verdade, tem acabamento de uma série documental– sua experiência de vida e de sucesso dentro da música sertaneja.

Disponível gratuitamente na plataforma Leveduca, Jorge Além dos Palcos é apresentado em 19 aulas dentro da categoria inspiracional. No conteúdo, Jorge aborda temas como a importância de encarar a música como algo profissional, religiosidade, as transformações da indústria do entretenimento, além de bate-papos com produtores e músicos.

“Sempre tive esse desejo de trocar essa ideia. Com 17 anos de carreira, gosto de estar perto dos artistas mais jovens e passar minha experiência de estrada e palco. O mundo da arte exerce um fascínio nas pessoas, mas a maioria delas não têm ideia de como ele funciona. É algo como expectativa e realidade”, diz o cantor, que é filho de uma professora e lecionou por dois anos as disciplinas de História e Geografia enquanto cursava a faculdade de Direito.

O curso não se debruça em canto, instrumentos e tampouco ensina a compor hits - uma especialidade da dupla. Por não ser tão técnico, o cantor acredita que o assunto também sirva para profissionais de outras áreas.

“Se você fizer uma analogia com outras profissões, os objetivos finais são sempre os mesmos: trazer o sustento da sua casa e lidar e resolver problemas. O curso mostra o quanto é importante correr atrás do que se almeja”, diz.

Três Brasis, com Gilberto Gil

Apresentada como minissérie, Infinito Brasileiro, uma caprichada produção da Casa do Saber, lançada no começo deste ano, traz o compositor Gilberto Gil falando sobre três brasis: o profundo, o moderno e o utópico.

Em três capítulos com duração variada, Gil fala sobre temas como a importância do interior do Brasil, sobretudo da contribuição que seus habitantes oferecem à formação cultural, econômica e social; a mistura de raças, a modernização do País no século 20; a herança modernista; a bossa nova e o rock’ n 'roll. A produção é dirigida por Marcelo Hallit com roteiro de Ana Oliveira.

Em um contraponto musical e cultural, Gil aborda o sertão de Luiz Gonzaga, artista que ele conheceu ainda menino por meio do sistema de auto-falantes da cidade de Ituaçu, no interior da Bahia, onde passou parte de sua infância, e o litoral de Dorival Caymmi. Foi aí, segundo ele, que se deu um processo de fusão na sua formação musical.

Em alguns momentos, Gil, acompanhando-se ao violão, canta algumas de suas canções. Como no momento em que fala de fé, no qual ele apresenta Procissão, uma de suas primeiras composições. E Eu vim da Bahia, quando fala de suas origens em Salvador.

Música com Zuza Homem de Mello

Os conhecimentos do musicólogo Zuza Homem de Mello sempre foram referência para quem gosta de música. Seus conhecimentos, no entanto, estão preservados: a Casa do Saber mantém em seu acervo três cursos apresentados pelo musicólogo, morto em 2020, aos 77 anos: A Música Popular Brasileira, Jazz e Música Clássica. A assinatura custa R$ 358,80 no plano anual, com acesso a mais de 200 cursos.

Roteiro com Ana Maria Moretzsohn

Autora ou coautora de telenovelas de sucesso, como Direito de Amar, O Salvador da Pátria, Tieta, Pedra Sobre Pedra e Esplendor, Ana Maria Moretzsohn, viu, durante a pandemia, a possibilidade ampliar os cursos de roteiro aos quais ela se sempre dedicou ao longo dos quase 40 anos de televisão.

Jornalista de formação, a autora também foi professora de inglês. Ensinar, portanto, é algo que ela sabe e gosta de fazer. “Quando tudo parou por conta da pandemia, eu não queria ficar parada. Criei essa oficina online e deu super certo. Não consegui mais parar por conta da procura”, diz Ana Maria, que no momento se dedica à sétima turma.

Os cursos que ela oferece são realizados via plataforma Zoom, ao vivo. Esse é o formato que mais a agrada. “Pré-gravado não me interessa fazer. O que funciona é a troca. Não quero caça níqueis. Quero formar pessoas, equipes. Esse é o meu destino”, diz a autora, de 74 anos.

O carioca Bruno Lemos, que há 30 anos trabalha com fotografia e produção audiovisual sobre surfe – recentemente, ele lançou o documentário Sou do Mar – começou a se interessar por escrever histórias de ficção, mas não sabia como conduzi-las até o fim. 

Com uma ligação de infância com Ana Maria, Lemos atualmente faz o curso avançado de roteiro e trabalha, com o auxílio da mestra, no roteiro de um desenho animado para crianças, na qual um golfinho faz amizade com um surfista. Os dois saem em uma aventura para salvar o planeta.

Lemos diz que o fato do curso ser ao vivo o entusiasma ainda mais. “Os gravados são legais porque você assiste a hora que quiser, volta, anota, mas não há interação com o professor, ter um feedback dele. Vejo o curso dela como uma mentoria de projeto”, diz ele.

Dos cursos, que duram de 18 a 22 aulas, já saíram, por exemplo, uma série teen escrita por uma aluna de 14 anos. Outro pupilo finalizou os quatro primeiros capítulos de uma novela. Profissionais de outras áreas, como advogados e psicólogos também a procuram.

O nível fundamental tem duas aulas por semana, de duas horas de duração cada, com 15 alunos (R$ 750). Os encontros do avançado ocorrem uma vez por semana, com no máximo sete alunos (R$ 650). Nesse último, Ana Maria analisa e depois compartilha com todos a storyline (resumo do tema) de cada aluno. Com isso, ela fomenta o debate de ideias entre eles. Há, inclusive, “deveres de casa”.

“O que eu achei fantástico é que, além da parte prática, a Ana Maria conta as histórias da carreira dela, como a criação da Malhação. Ter essa oportunidade de estar junto de alguém que tem essa experiência tão vasta é ótimo”, diz Lemos, que assiste as aulas do Havaí, onde mora há três décadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.