Empório Nordestino tem pratos típicos do sertão

A culinária do sertão, em sua origem, não é mesmo das mais leves. Fruto dos recursos e das adversidades típicos da região mais árida do País, privilegia pratos fortes, calóricos, de digestão lenta. Coisa para quem tinha de atravessar a caatinga no lombo de burro e aguentar os trancos do dia-a-dia entre bodes e mandacarus. Mas excessiva para o modo de vida urbano. Vlademir Monteiro pensou nisso quando criou o Empório Nordestino. O restaurante foi aberto há menos de três meses e ocupa uma bela casa no Largo da Matriz, na Freguesia do Ó. Monteiro e sua sócia, Maria de Lourdes Araújo, queriam um lugar para servir especialidades nordestinas - com influências mais da Paraíba e do Rio Grande do Norte - respeitando tradições, mas adaptando alguns ingredientes e o peso dos pratos para o gosto paulista. Engenheiro de formação, o carioca Monteiro elabora as receitas levando em conta memórias familiares - os pais nasceram no Nordeste - e a experiência de trabalho em cantinas italianas. A partir daí surgiram coisas como o cabrito assado (R$ 32) e o espaguete à potiguar - massa com carne de sol desfiada e lingüiça (R$ 14). A inspiração, conta Monteiro, surgiu anos atrás a partir de Paulo Cotrim, crítico de restaurantes do JT na década de 70, que o desafiou a criar uma prato ítalo-sertanejo. Outra iguaria apaulistanada é a mocofava (R$ 16), fusão dos tradicionais caldo de mocotó e favada. O prato reúne favas, mocotó, carne-seca e costelinha de porco, com coentro na medida e, incrível, um quase nada de gordura. Claro, os clássicos também estão no cardápio. A carne de sol na brasa (R$ 33, para três), com arroz, feijão verde, farofa, macaxeira (mandioca) é um dos sucessos do Empório. Já o churrasco misto (R$ 35) é um exagero de comida: carne de sol, galeto, lingüiça e acompanhamentos, para satisfazer até cinco pessoas. A visita vale ainda pela casa, que é do século 19 e foi recuperada segundo o projeto original. O lugar é amplo e arejado, com pé-direito e pórticos muito altos. Mais um motivo, enfim, para dar uma passada pelo Largo da Matriz - o que, de resto, há muito tempo se tornou uma das coisas mais legais para se fazer na Zona Norte. Empório Nordestino. Lgo. da Matriz de Nsa. Sra. do Ó, 144, Freguesia do Ó. 3931-3101 (120 lug.). 11h/23h (sáb. e dom. até 0h; fecha 2ª).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.