Emmy faz justiça ao premiar 24 Horas

Finalmente, o seriado de Jack Bauer (Kiefer Sutherland) teve um final feliz, pois o suspense que se passa em tempo real apesar de receber rasgados elogios da crítica, só agora, após cinco temporadas, teve o reconhecimento do Emmy. A série "24 Horas" que foi a grande vencedora da 58.ª edição dos prêmios Emmy, considerado o "Oscar da TV", na cerimônia realizada no domingo à noite no Shrine Auditorium de Los Angeles. A cerimônia mostrou que o júri do Emmy preferiu valorizar o conhecido do que apostar no novo.Uma vitória também para o protagonista, o ator Kiefer Sutherland que durante estes cinco anos se manteve à frente de uma trama que mistura a espionagem com a política, interpretando o agente Jack Bauer de uma unidade que combate o terrorismo."Em certas ocasiões de uma só vez você é lembrado do muito que tem e esta é uma dessas vezes", disse um sorridente Sutherland com seu primeiro Emmy na mão. A vitória de "24 Horas" se impôs sobre a série que parecia ser a favorita da cerimônia de televisão, o melodrama hospitalar de "Grey´s Anatomy".Com onze indicações, boa mídia e acolhida do público, "Grey´s Anatomy" chegou ao Auditório Shrine de Los Angeles com muita expectativa, mas saiu de mãos vazias. Isto prova mais uma vez como é difícil uma série conseguir seu primeiro Emmy com sua primeira indicação."The Office" é a exceção que confirma essa regra. A versão norte-americana da série britânica de mesmo título foi a ganhadora do EmmyDe melhor comédia em sua primeira candidatura ao prêmio, conforme a crítica havia previsto.Mas a vitória não foi completa já que o que se esperava era uma vitória para Steve Carell, o humorista de moda na televisão e no cinema com "Virgem de 40 Anos", mas o troféu foi mais uma vez para Tony Shalhoub.O protagonista da série "Monk" obteve assim seu terceiro Emmy comoO melhor comediante graças a seu papel de um detetive obsessivo e maníaco por ordem e limpeza. "Houve um erro terrível", comentou o ator ao receber o prêmio com o mesmo rosto impassível que utiliza na série.Maior foi a surpresa de sua companheira da categoria, JuliaLouis-Dreyfus, ao ganhar a estatueta de melhor atriz de comédia por "The New Adventures of Old Christine". Apesar de sua vitória estar prevista e seu rosto ser muito conhecido na tela da televisão, após sua passagem por "Seinfeld", Julia quase se esqueceu do nome de seu marido ao receber sua primeira estatueta e fazer os agradecimentos de praxe.Outros veteranos que conquistaram o troféu do ano foram Alan Alda, com sua sexta estatueta graças ao seu prêmio como melhor ator coadjuvante por "The West Wing" e Blythe Danner por "Huff!". Esta última não pode evitar uma pitada de sarcasmo ao dedicar o premio à cadeia Showtime, apesar de ela ter cancelado a série.Megan Mullally também recebeu seu prêmio de melhor atriz coadjuvante de comédia por seu trabalho em uma série que terminou após oito anos no ar, "Will & Grace".A maior surpresa foi o prêmio dado a Mariska Hargitay em sua terceira indicação como melhor atriz por série dramática, por seu papel em "Law & Order: SVU". Destaque também para as homenagens ao popular apresentador de televisão norte-americano Dick Clark, que saiu do cenário sentado, sem poder andar após ter sofrido uma embolia. E também pela presença das panteras originais, os três "Anjos de Charlie", Jaclyn Smith,Farrah Fawcett e Kate Jackson, em homenagem ao recém-falecido produtor de televisão Aaron Spelling.Ganhadores e perdedores, todos tiveram que sofrer o forte calor sob seus trajes de noite de Dior, Valentino, Armani ou Galiano, muitos portando ventiladores de mão para superar o suor do verão californiano de mais de 40 graus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.