Em inauguração, Lula homenageia Niemeyer e Sivuca

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva homenageou, ao inaugurar na manhã desta sexta-feira o complexo cultural da República, em Brasília, o arquiteto e idealizador da obra, Oscar Niemeyer, que completa nesta sexta 99 anos, e o músico Severino Dias de Oliveira, conhecido como Sivuca, que morreu na noite de quinta-feira. "Temos de ter muito orgulho de viver num país que tem como filho Oscar Niemeyer", disse o presidente.Lula, que estava acompanhado de parentes do arquiteto, comentou o desejo de Niemeyer de concluir o complexo cultural que estava previsto no projeto original da cidade."Certamente no dia em que Oscar Niemeyer não estiver mais aqui, ele saberá que se foi quando todos os seus filhos projetados para Brasília estavam concluídos."O presidente disse que teve "um choque" ao ver "a extraordinária" obra do museu, que se chama Honestino Guimarães, um desaparecido político do regime militar. Já a biblioteca, ao lado do museu, recebeu o nome do ex-governador Leonel Brizola. Depois, Lula citou Sivuca. "A vida não é só alegria. Perdemos uma figura cultural extraordinária, que é Sivuca, a quem todos temos de render uma homenagem. Sivuca foi um artista completo e fará falta."Quando saída do museu, o presidente foi questionado por uma repórter sobe a reforma ministerial. "As coisas vão ter que acontecer no primeiro mandato. As medidas vão ter que ser anunciadas no primeiro mandato", respondeu o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.