Em forma para o Homem de Ferro 17

Entre várias outras afirmações, Robert Downey Jr. garante que é mais fácil salvar o mundo do que dirigir um filme

PEDRO CAIADO, ESPECIAL PARA O ESTADO / LONDRES, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2013 | 02h10

O plano da Marvel de adaptar seus bem-sucedidos heróis dos quadrinhos para filmes nas telas dos cinemas se provou um negócio bilionário com o sucesso de Os Vingadores ano passado. O filme que juntou os principais personagens da editora fez mais dinheiro de bilheteria que qualquer outro filme - com exceção dos longas dirigidos por James Cameron -, tornando a empresa importante no jogo de Hollywood. Homem de Ferro 3 é o primeiro filme que representa a segunda fase da Marvel, pós-Vingadores.

A fase 1 teve filmes de ação estrelando os principais heróis dos quadrinhos - um esforço com foco final em Os Vingadores - o filme mais esperado do gênero, que teve meio bilhão de ingressos vendidos, sendo o terceiro de maior faturamento da história do cinema. Na fase 2 da Marvel, a maioria do time de Os Vingadores retorna ao batente nas próprias franquias - pelo menos até a próxima sequência de Vingadores, em 2015.

O diretor Shane Black, o mesmo por trás dos filmes Máquina Mortífera e Beijos e Tiros (2005), também com Downey Jr, explicou sobre o desafio deste terceiro Homem de Ferro. "Quando você realiza qualquer sequência, e neste caso já no terceiro episódio, tem que se perguntar o que pode fazer. É estranho, pois Homem de Ferro não é uma trilogia. Há um filme chamado Os Vingadores no meio", explica o diretor, afirmando que o filme seria o quarto episódio de alguma maneira. "E foi John Favreau que veio a mim com dicas para fazermos algo diferente de Os Vingadores. Este filme deve muito a ele", confessou o americano. Favreau, ator/diretor/roteirista, dirigiu os primeiros episódios de Homem de Ferro e neste faz uma participação como segurança de Stark.

O terceiro episódio da franquia é um filme de ação, divertido e talvez o melhor dos esforços de Tony Stark em carreira solo. Downey Jr. volta no papel do bilionário, agora publicamente Homem de Ferro, vivendo em sua casa futurista na costa de Malibu. Também retorna Gwyneth Paltrow como Pepper Potts, agora com mais espaço na trama. A atriz, que recentemente foi apontada simultaneamente como mulher mais bonita pela revista People, e mais odiada pela revista Star, participa das cenas de ação mais impressionantes do filme, além de mostrar físico de dar inveja. "Fiquei surpreendida com minha participação", disse, interrompida por Downey Jr. "Ela é tão metida", brinca. "Nunca pensei que participaria de um filme de super-heróis. E este tem sido o meu principal trabalho nos últimos seis anos. Estou feliz", afirmou a atriz. Guy Pearce, ator do clássico longa Amnésia, interpreta o vilão empresário da ciência Aldrich Killian - uma mente brilhante, mas obcecado com a ascensão de Tony Stark.

Sir Ben Kingsley é uma surpresa também como vilão, o Mandarim, um terrorista impiedoso que faz ameaças pela TV e guarda um segredo. "O que me fascinou é que o personagem vai do indestrutível à completa vulnerabilidade", afirma o ator vencedor do Oscar por Gandhi.

"Estou muito feliz que o público discuta sobre terrorismo e mudanças genéticas após assistirem ao filme. O que significa terrorismo? Fico feliz com isso", diz Downey Jr. com cabelo e barba iguais a Tony Stark. O ator confessa, com humor, como conseguiu a boa forma para viver mais uma vez o Homem de Ferro. "Sou obrigado a dizer que estava sob dieta rigorosa da Gwyneth. Na verdade, odeio admitir que o Don Cheadle está muito mais em forma e é mais ágil", confessou, acrescentando que esta situação não vai continuar quando Homem de Ferro 17 for lançado. "Eu me diverti muito fazendo este filme." O ator de 48 anos, um dos mais bem pagos de Hollywood no momento (com salário estimado em US$ 50 milhões por filme), é pura graça. Logo esquecemos seus problemas com drogas e álcool, que quase o fizeram perder uma brilhante carreira 10 anos atrás. É fácil afirmar que o sucesso de Tony Stark no cinema está diretamente ligado à persona Robert Downey Jr.

Sobre o visual e a tecnologia dos filmes atuais, o diretor Shane Black confessa. "Os filmes têm um visual perfeito hoje em dia, mas nem sempre são histórias interessantes. A trama é o importante. A grandeza do filme ou do orçamento não são fatores que me interessam. É a inovação que me atrai", adianta ele. Questionado se gostaria de dirigir um filme, Downey Jr. confessa: "Seria tão exaustivo!". Talvez mais fácil seja salvar o mundo de um perigo iminente, mais uma vez. O segundo episódio de Os Vingadores está programado para o meio de 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.