Em Charada, aventura e comédia

Big Alma: A Vida de Alma

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2012 | 03h11

Mahler

17H30 NA CULTURA

(Big Alma). Áustria, 2007. Direção

de Susanne Freund.

A primeira parte do documentário sobre a mulher que se casou, sucessivamente, com o compositor Gustav Mahler, o arquiteto Walter Gropius e o escritor Franz Werfel. O documentário de Susanne Freund destaca o que Alma acrescentou a cada um deles. Reprise, colorido e preto e branco, 44 min.

Davi

22H10 NA BANDEIRANTES

(David). EUA, Alemanha, Itália, 1997. Direção de Robert Markowitz, com Nathaniel Parker, Jonathan Pryce, Leonard Nimoy.

Segunda parte da história bíblica de Davi e Golias. O rei de Israel é sucedido no trono por Salomão, que constrói o templo com que sonhava seu pai. Não se pode esperar muito do diretor Markowitz. Jonathan Pryce, sempre um senhor ator, carrega o filme nas costas, bem assessorado por Leonard "Spock" Nimoy. Reprise, colorido, 190 min.

Irina

22H15 NA CULTURA

Brasil, 2011. Direção de Sabrina

Greve, com Caio Blat, Sérgio Machado, Marat Descartes e Sílvia Lourenço.

Garota chamada Irina ganha em um concurso duas passagens para Moscou, cidade pela qual é obcecada. Mas se depa-ra com uma dificuldade: por vi-ver sozinha em São Paulo, não tem um acompanhante. O arco dramático é justamente a procura de Irina pelo seu par. Sabrina Greve é uma atriz gabaritada e é sensível o suficiente para dirigir com prazer essa história curiosa. Reprise, colorido, 51 min.

Amor e Cia.

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 1999. Direção de Helvécio Ratton, com Marco Nanini, Patrícia Pillar, Alexandre Borges, Rogério Cardoso.

Baseado na obra de Eça de

Queiroz e ambientado no Brasil de fins do século 19, conta a

história de um rico comerciante que descobre sua esposa nos braços de seu sócio. Furioso,

ele expulsa a mulher de casa e desafia o sócio para um duelo mortal. O tom é de comédia, o elenco é afiado, mas o resultado não atinge o nível esperado. Reprise, colorido, 99 min.

A Bússola de Ouro

22H45 NO SBT

(The Golden Compass). EUA, 2007. Direção de Chris Weitz, com Nicole Kidman, Eva Green, Daniel Craig.

Em um universo paralelo, onde as pessoas têm "dimon" (manifestação externa de sua alma em forma animal), uma jovem órfã enfrenta problemas com uma estranha substância, o pó, que provoca alucinações nas crianças. Fantasia adaptada da série de livros de Phillip Pullman, tinha tudo para dar certo, a começar por um elenco estelar. Mas foi um tremendo fracasso e o projeto de trilogia parou por ali. Reprise, colorido, 113 min.

Charada

23H15 NA CULTURA

(Charade). EUA, 1963. Direção de

Stanley Donen, com Cary Grant,

Audrey Hepburn, Walter Matthau,

James Coburn, George Kennedy.

Mulher encontra seu marido morto e logo descobre que ele devia US$ 250 mil aos sócios, que acreditam que ela escondeu o dinheiro e passam a persegui-la. Sensacional filme de aventura e suspense, com Cary Grant e Audrey Hepburn vivendo personagens tipicamente hitchcockianos. Pode-se dizer, aliás, que poucos imitaram tão bem o mestre do suspense como Stanley Donen neste filme. Thriller policial com ecos de comédia musical e a elegância do casal central como grande atrativo. Ótima diversão. A emissora informa que exibirá uma cópia dublada. Reprise, colorido, 113 min

Hitman - Assassino 47

23H20 NA GLOBO

(Hitman). EUA, França, 2007. Direção de Xavier Gens, com Timothy Olyphant, Dougray Scott.

O agente 47 foi criado para ser um exímio matador de aluguel. O número 47 é uma referência aos dois últimos dígitos do código de barras que tem tatuado em sua nuca. Um dia ele é envolvido em um golpe político, o que faz com que seja perseguido pela Interpol e por militares russos. Mais um filme de ação produzido por Luc Besson. Fez tanto sucesso que o ator Timothy Olyphant virou astro da TV norte-americana com a série Deadwood. Reprise, colorido, 100 min.

TV PAGA

Short Cuts

16H40 NO TELECINE CULT

(Short Cuts). EUA, 1993. Direção de Robert Altman, com Tim Robbins,

Andie MacDowell, Julianne Moore.

Por obra do acaso, as vidas de 22 personagens cruzam-se nos subúrbios de Los Angeles, provando que, de certa forma, estão interligados. Inspirado no livro de contos de Raymond Carver, o filme reúne personagens distintos, desde uma dona de casa que trabalha num serviço de sexo por telefone até um policial exibicionista que usa as calças mais justas do planeta e um palhaço melancólico que (des)anima festas infantis. A condução da história é segura e confirma o talento de Robert Altman como diretor, mesmo em obras menores, se comparadas com clássicos como M.A.S.H. e Cerimônia de Casamento, que não apelam para soluções fáceis, como o terremoto que dá um ponto final na história como acontece aqui. O filme é considerado um dos últimos grandes momentos de Altman, que morreu em 2006, deixando um legado imprescindível. Reprise, colorido, 189 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.