Em cena

HERANÇA, IF IT"S A DREAM MAKE IT REAL, IF IT"S REAL, MAKE IT A DREAM, BRUCE NAUMAN, EXPERIÊNCIA, SERAFINA, LOUNGERIE

Chris Mello, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2010 | 00h00

BRANDING

No País para um road show da AR, agência nova-iorquina de construção e reposicionamento de marcas - que atende Gucci, Versace e Beyoncé -, o professor de Yale David Israel e o brasileiro Antônio Haslauer, falam sobre branding ao Estado:

O novo luxo, de tão comentado, está velho, concordam? Luxo é difícil de definir. Quantificar, então, soa negativo, pois luxo deve ser atemporal. E, para ser premium, tem que ser verdadeiro. Muitas empresas querem ser luxo sem saber o que é luxo. Não é possível conceituar ou reconceituar nada sem que você saiba quem é, o que o torna único, quem são seus clientes, com quem e o que conversam e por que cada consumidor se importaria com sua existência. Analisamos tudo isso para atualizar a imagem do Saint Regis Hotel, Jimmy Choo. Sabendo a verdade há como ser único.

Qual o caminho?

A função de uma marca é emocionar. Para fazer isso com excelência há que descobrir suas heranças.

E quando se trata de lançar uma marca?

Marcas jovens também têm herança. É a inspiração, a razão, que faz com que pessoas envolvidas no negócio levantem da cama para desenvolver o projeto.

Em publicidade é fato consumado que toda marca precisa ter vida digital.

Sim, porém parece que as marcas não estão fazendo a lição bem-feita. O que funciona para mídia tradicional, não garante êxito na internet. Na web, informação sazonal é insuficiente. Mídias sociais requerem conversas constantes. Marcas precisam de um approach editorial nesse espaço. Consumidores estão realmente em controle, então não dá para chegar e sair; adicionar-se a uma lista de amigos e achar que é suficiente. É preciso ser diferente, ativo e constante ao alimentar o consumidor de informação.

O Serafina, que faz pizzas e pastas populares em NY, vai ter braço brasileiro. Marcelo Alcântara - dos bares Eu, Tu, Eles, Buddah, Zé Bonito e Corte - está construindo com Davide Bernaca o primeiro restô, em versão hype. Será na Lorena.

Especialista em viagens de inverno, Eduardo Gas, da SkiBrazil, coloca no mercado a operadora Selections para vender oportunidades. É uma tendência. "A melhora do padrão de vida e abundante crédito, fez das classes C e D consumidoras de destinos, inclusive internacionais. O público que já viajava, começou a querer oportunidades: o tudo que é fora do padrão e circuito", explica Gas sobre a motivação do consumidor brasileiro. A Selections estreia dia 12 numa casa, como se fosse a de Gas, onde o viajante, além de recebido de forma intimista, pode fazer workshops culturais e técnicos referentes ao que fará. Durante o Mundial para que lugar da África do Sul mandaria seu viajante? "Que tal ficar no Cliff Lodge em Ulusaba? É o Lodge privado do sr. Richard Branson, dono da Virgin. Oferecemos esse tipo de oportunidade."

Sedentarismo é realidade do brasileiro. Novo estudo sobre a saúde do homem e da mulher realizado por uma grande seguradora de saúde mostra que 71,8% das mulheres e 54% dos homens não têm o hábito de exercitar-se. Consequência? Sobrepeso aumentando ano a ano. A situação é mais preocupante para elas que, de 18,4% em 2004, pularam para 25,2% com sobrepeso em 2009.

HAPPY LOVERS HOUR

Underwear sexy para vestir e "estar" = loungerie. A palavra é amálgama de lounge - ou sala de estar - e lingerie. "Também são como segunda pele." Assim, a designer Giuliana Romano explica como compôs uma série de hot pants e lingeries mostrada no desfile privé Happy Lovers Hour. Providencial para o dia 12. "Estava numa pegada punk rocker, então compus peças com correntes." Está aí um novo acessório para closet de mulheres modernas.

If it"s a dream, make it real; if it"s real, make it a dream. A frase do americano Bruce Naumam tem 100% a ver com a artista Mariana Simão Perez. Aluna da Beaux Arts de Paris, foi levada pela turma da Galeria Mendes Wood para uma feira, onde foi descoberta por um curador francês, que a colocou na Bienal da Polônia e em galerias belgas e asiáticas. Tudo rendeu à brasileira uma individual no Museu de St. Etienne. Caminho totalmente inverso do da maioria de jovens artistas. Sábado ela mostra desenhos pela primeira vez no País. Na Mendes Wood, não por acaso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.