Em Belíssima, mais um ex-morto em cena

Marry Montilla (Carmem Verônica) não é um exemplo de gente correta, mas como não há pessoa absolutamente honesta em Belíssima, a personagem recebe defesa imediata de sua intérprete. Às vésperas do fim da novela, a atriz aposta em um novo suspeito para os crimes que permeiam a história.Considerando que Mary não é das mais íntegras em cena, acha que ela tem culpa nos crimes?Todo mundo tem caráter duvidoso naquela história. Ela não mede os meios para chegar aos fins. Oras, briga com a Guida mas acolheu a amiga em casa. Enganou a Mônica, mas foi porque queria o bem da moça. Ela é louca o suficiente para se envolver em qualquer beco se tiver interesse em jogo, mas eu aposto em um personagem que ainda não apareceu em cena. Será que o ´falecido´ de Mary morreu mesmo? Como todo mundo costuma ressuscitar nessa novela ...Ao contrário do que apostam, Gigi (Pedro Paulo Rangel) não é o principal suspeito?Ah, para mim não é Gigi. Aquilo é só para criar um certo suspense. Será algo brilhante, surpreendente. Olha, não se fala em outra coisa nos bastidores. Os maquiadores, cabeleireiros e atores ficam especulando o tempo todo, fazendo apostas. Uma coisa é certa: nem mesmo quem é o assassino sabe que é culpado. Eu ainda aposto no falecido.Talvez Mary jogasse a culpa em Guida (Íris Bruzzi)...Mary é engraçada, é amada pelas pessoas, mas se eu não fizesse uma dobradinha com a Íris, talvez a personagem não tivesse crescido tanto. A gente tem um a química muito boa e, apesar dos desaforos trocados em cena, gosto muito dela. É só brincadeirinha, viu? Somos inimigas íntimas na novela, mas na vida nós nos adoramos. Ela faz tudo com seriedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.