Elvis:Compre agora ou nunca

Instrumentos supostamente usados para embalsamar o Rei do Rock vão ser colocados à venda no dia 12 de agosto

Kristen Schorsch CHICAGO TRIBUNE, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2010 | 00h00

Um antigo embalsamador da Memphis Funeral Home resolveu leiloar instrumentos que teriam sido usados para preparar e embalsamar o corpo de Elvis Presley em 1977, rapidamente exposto ao público no dia seguinte ao da sua morte.

Por aproximadamente US$ 8 mil, no dia 12 de agosto, os fãs de Elvis terão a oportunidade de se exibir com um cartãozinho de identificação supostamente usado no corpo de Elvis no hospital, além de luvas de borracha, fórceps, pincel para lábios, pente e delineador, seringas de injeção e ganchos utilizados durante os preparativos para o funeral do rei do rock"n"roll, informou a casa de leilões Leslie Hindman, de Chicago, que realiza a venda.

Os itens teriam sido usados apenas uma vez e somente no Rei do Rock. "Fizemos todo o tipo de coisas ao longo dos anos, mas esta é definitivamente a mais inusitada", comentou Hindman.

Em leilões anteriores, as pessoas desembolsaram dinheiro a rodo para qualquer coisa que tivesse pertencido a um famoso defunto. Madeixas negras de Elvis foram vendidas por cerca de US$ 18 mil, e uma seringa usada para Abraham Lincoln em seu leito de morte por US$ 10 mil.

A preparação de Elvis para as últimas homenagens exigiu que seu corpo fosse embalsamado, vestido com um terno e maquilado; além disso, seus cabelos grisalhos foram pintados de preto.

Entre os objetos da coleção colocada à venda estará a fatura da remessa do caixão, o cabide do terno de Elvis e o formulário do pedido para uso da sala de preparação do corpo.

Segundo Karl Kann, presidente do Colégio de Ciências Mortuárias Worsham, de Wheeling, Illinois, o embalsamador passou dos limites. Ele questiona também a autenticidade dos objetos.

"Não importa quão famosos os mortos sejam, as pessoas confiam totalmente na gente", afirmou Kann, acrescentando que os agentes funerários nunca devem querer obter lucrar pelo simples fato de estarem cumprindo a sua obrigação.

O misterioso embalsamador não pôde ser encontrado para comentar o caso. Segundo o contrato do leilão, ele quis permanecer anônimo.

Em outubro, os fãs de Elvis abriram os talões de cheques para comprar cabelos de Elvis cortados em 1958, quando ele prestou serviço militar, uma camiseta vermelha de suede que ele vestiu numa foto e lenços supostamente usados por ele em concertos para enxugar o suor. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.