Elton John, no Rio de Janeiro, em fevereiro de 2014. Foto: ALEXANDRE DURAO/ESTADÃO
Elton John, no Rio de Janeiro, em fevereiro de 2014. Foto: ALEXANDRE DURAO/ESTADÃO

Elton John critica prefeito de Veneza que tirou das escolas livros sobre famílias gays

Luigi Brugnaro, que foi eleito em junho, baniu 49 títulos das salas de aula de Veneza ao afirmar que estava pensando 'na maioria das famílias, que tem um pai e uma mãe'

O Estado de S. Paulo

18 de agosto de 2015 | 15h23

Elton John fez alguns comentários sobre a recente retirada de livros sobre família de mesmo sexo das escolas de Veneza, na Itália, dizendo que o prefeito da cidade, Luigi Brugnaro, está "liderando uma sociedade futura que é discriminatória e ignorante".

Brugnaro, que foi eleito em junho, retirou 49 títulos das salas de aula de Veneza ao afirmar que estava pensando "na maioria das famílias, que tem um pai e uma mãe". Em resposta, mais de 250 autores solicitaram que seus livros também fossem retirados da cidade em solidariedade - a lista inicial de 49 foi então reduzida para dois (ambos relacionados com a homossexualidade, de acordo com o PEN italiano, que condenou o 'banimento').

John se uniu às manifestações por meio de um post no Instagram, mostrando um dos livros preferidos da família John-Furnish: The Family Book, de Todd Parr, o qual, segundo o músico, "mostra um mundo inclusivo em que as famílias aparecem em todos os tamanhos, formas e cores".

Ele continua, sobre Brugnaro: "ele estupidamente escolheu politizar livros das crianças ao banir títulos que mostram famílias do mesmo sexo vivendo felizes para sempre".

"A bela Veneza está de fato afundando, mas não tão rápido quanto o ignorante sem cultura Brugnaro", conclui a nota.

O prefeito tem colocado em sua conta mensagens que recebeu em apoio à sua iniciativa. Esta manhã, ele disse que "respeita o crescimento das crianças, e tem absoluto respeito pelas escolhas dos homossexuais... as crianças não têm nada a ver com isso".

Mais conteúdo sobre:
Elton John

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.