Tom Munro
Tom Munro

Ellus transforma sua trajetória de 45 anos em livro de arte

Obra reúne imagens que ajudaram a construir a identidade da moda nacional com grandes modelos clicadas por fotógrafos renomados

Marilia Kodic, O Estado de S. Paulo

20 Outubro 2017 | 06h00

O ano era 1979 e o País vivia a ditadura militar quando, certo dia, soou dos televisores brasileiros a canção Mania de Você, de Rita Lee, acompanhando a imagem de um casal despindo um ao outro debaixo d'água. “Tire a roupa para quem você gosta”, dizia o slogan da campanha da Ellus, que apresentava uma coleção de calças coloridas. A Liga das Senhoras Católicas ficou horrorizada, o Exército tentou censurar a propaganda, mas nada impediu os jovens de formarem filas nas portas da fábrica atrás de um par.

A controversa peça publicitária retrata bem a imagem da Ellus, que acaba de completar 45 anos: urbana, livre e ousada. “Naquele momento, nossa geração buscava a liberdade após anos de repreensão. Senti necessidade de criar algo e expressar esse desejo. Eu podia produzir sem culpa ou medo de errar”, diz Nelson Alvarenga, que fundou a marca em 1972, aos 22 anos, vendendo camisetas.

Para celebrar, a grife lança amanhã, numa festa com show da cantora Fernanda Abreu, em São Paulo, o livro Ellus Revolution, escrito pela jornalista Maria Rita Alonso com curadoria de imagens de Flavia Lafer, direção de Arte de Kleber Matheus. Em suas quase 300 páginas estão devidamente registrados os momentos mais icônicos dessa trajetória, com cliques de fotógrafos renomados, como Terry Richardson, Tom Munro e Bob Wolfenson, e depoimentos de grandes nomes da moda nacional, como a consultora Costanza Pascolato, a jornalista Daniela Falcão e o estilista Alexandre Herchcovitch.

Visualmente, a obra, publicada pela editora Luste, é rica: dezenas de imagens traduzem o DNA sensual, roqueiro e street da Ellus ao longo de mais de quatro décadas, clicadas por estreladas por personalidades como Cindy Crawford, Milla Jovovich, Alek Wek, Agyness Deyn, Chloë Sevigny, Luma de Oliveira, Fernanda Torres e até Xuxa – além, é claro, de Kate Moss, que protagonizou um dos momentos mais marcantes da história da marca durante a São Paulo Fashion Week de Verão 2014.

“Kate Moss fez uma das campanhas mais lindas da Ellus. Depois, ela veio para o desfile e foi um sucesso. No dia seguinte, estava na capa de todos os jornais do País. Foi inesquecível”, conta Adriana Bozon, diretora criativa da marca e mulher de Alvarenga. “Usar esses nomes gringos poderosos dava à Ellus uma personalidade global, contemporânea, extremamente especial”, explica Paulo Borges, idealizador da São Paulo Fashion Week, em depoimento registrado no livro. “Os desfiles da Ellus extrapolaram o campo da moda. Deixaram a segurança da passarela e foram ocupar a cidade, iluminando uma série de espaços públicos.”

Mais conteúdo sobre:
Ellus moda

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.