Elettra Rossellini passa pelo SPFW sem deixar marca

A esperadíssima participação de Elettra Rossellini, filha de Isabella Rossellini, não empolgou ninguém. A garota, que na verdade começou a trabalhar como modelo há um ano, depois de fotografar um editorial para Bruce Webber nos Estados Unidos para um catálogo de uma grife americana, ainda é new face. Seu rostinho clássico pareceu levemente emburrado na passarela - talvez fosse só impressão - mas a presença dela não alterou em nada o destino do desfile.A grife comandada por Pedro Lourenço variou sobre poucos temas: com a desculpa de desconstruir para reconstruir, o jovem estilista (como Elettra, herdeiro do talento da mãe, Gloria Coelho, e do pai, Reinaldo Lourenço) fez calças (muitas, várias), confeccionadas como tiras de tecidos diferentes, entre couro, alfaiatria e outras propostas. A silhueta é justa, leggings renovadas. As jaquetas são curtas, os tricôs - maxipulls - viram microvestidos, com aplicações de pedaços de roupas aqui e ali. Bom o vestidinho criado a partir da camisa justinha. Já os vestidos "de princesa" - feitos com um mix de drapeados e franzidos lembraram muito o modelo cisne usado por Björk naquela entrega de Oscar, lembra?Daqui a pouco, tem Gisele Bündchen na passarela... Aguardem!SP FASHION WEEK

Agencia Estado,

28 de janeiro de 2004 | 18h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.