Elenco da Globo invade as passarelas do Lab

Ficção e realidade se confundiram na noite de domingo no Projeto Lab, o evento dedicado aos novíssimos talentos da moda que deu início à Semana de Moda (que termina amanhã, em São Paulo). Por conta da realização da festa de lançamento da novela da Globo, Desejos de Mulher, parte do elenco estava ali, na platéia e na passarela. A muvuca foi inevitável. Nunca se viu, na porta do Lab, tanto tititi. Havia fila para entrar, confusão para atingir a sala de desfile e a badalação em si foi um suador geral.Apesar do auê, a moçada do Lab só tem a ganhar. Com direito a links ao vivo no Fantástico, os jovens que ainda são ilustres desconhecidos, podem ganhar valiosos minutinhos de fama graças à parceria com a novela. Silvia Pfeifer, que será dona de uma agência de modelos na trama de Euclides Marinho, participou da performance armada por Tony Júnior, embutida em uma calça com colete de lurex.O estilista montou uma "cena" para mostrar sua moda. Sete garotas e três rapazes ficaram em pé na passarela por pelo menos uma hora, enquanto o povo fazia o burburinho de sempre até se acomodar nas cadeiras. Detalhe: os saltos altos dos escarpins, usados também pelos meninos, era torturante. Tony Júnior quer ser futurista, usa malhas de tecido prateado e muito matelassê, criando casacos para astronautas urbanos.Chris Couto participou do desfile da MG5, grife Christopher e Érika Le Roux. Mais uma vez, o casal fez boas misturas de jeans com tricô, e trabalhou muito os volumes das saias. A quantidade de pano cria até uma saia-mantô, que entra na passarela como casaco para depois cair sobre as pernas. O trabalho com tiras, desfilado por Chris Couto, não é novo. Melhor ficar com as pantalonas. A cartela de cores econômica, com vinho, vermelho e preto, veio bem.Luiza Mariani, que fará uma modelo na novela, incorporou a manequim para Simone Mina. Professora de estilo da Faculdade Santa Marcelina, Simone tem a mão suave. Para concretizar seu tema, nascido de um artigo de 1997 sobre uma tal "máquina de abraço", ela adota camadas de pano, com lâminas de feltros agregando uma nova topografia ao corpo. Usa losangos de vidro como jóias, como contrapeso da leveza dos tecidos.Mel Lisboa, que na novela repete a trajetória das menininhas que vêm do interior e querem ser modelos, fez sua estréia na passarela de Simone Nunes. Divertida a idéia de calça com cavalo baixo e cós repleto de falsas mangas, como se várias blusas estivessem amarradas. Yoo Kim e Karlla Girotto não contaram com reforço de globetes em seus lançamentos, mas nem por isso suas coleções deixaram de chamar a atenção. Karlla fez cabeças que muito lembram algumas usadas por Lino Villaventura, e sua mulher é mesmo teatral, com o a de Lino já foi um dia. Neste palco, surgem ótimas construções de tranças de tecidos, elaboradas pregas e um intrincado trabalho de volumes e contrastes de cores. Karlla é, no mínimo, corajosa. A moda agradece.Yoo Kim, assistente de Walter Rodrigues, teve o estilista no gargarejo de seu desfile e mereceu dele só elogios. "A cartela de cores dela estava linda", declarou. Yoo faz uma moda mais viável e compreensível, sem deixar de ser elaborada. Atenção para o trabalho de drapeados, forte em sua coleção.Dono de um olhar treinado, Paulo Borges, diretor-geral da São Paulo Fashion Week, gostou do que viu. "De uma maneira geral dá para perceber um amadurecimento, é um processo contínuo, mas para um Lab está muito bom." Borges é, por sinal, uma das figurinhas que darão as caras na novela. Flashes do folhetim, apresentados em telões antes do início dos desfiles, revelaram que uma parcela do mundo fashion estará lá, representando personagens de si mesmos. Como na vida real.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.