Elegância e cores levarão o Oscar da moda no tapete vermelho

A alguns dias da cerimônia doOscar, Hollywood já está se arrumando para o desfile anual demoda no tapete vermelho, prevendo que estrelas como PenelopeCruz e Nicole Kidman brilhem em vestidos elegantes em coresousadas. Exatamente o quê elas vão vestir no domingo é um dosmaiores segredos dos estilistas de elite, mas uma coisa écerta: o objetivo das estrelas é ser fabulosa. Juliana Cairone, da butique nova-iorquina Rare Vintage,frequentada por atrizes em busca de looks glamurosos esofisticados do passado, comentou: "Toda mulher, quando temesse momento especialíssimo no tapete vermelho, quer contar como melhor vestido." Cairone, que forneceu o vestido de Hermes usado porAngelina Jolie no prêmio do sindicato dos atores, previuvestidos de inspiração grega, sem alças, com um ombro de fora,e looks boêmios sexies para algumas das indicadas mais jovens. Amarelo forte, azul cobalto e roxo têm se destacado naspassarelas este ano e prometem chamar a atenção no tapetevermelho do Oscar. A supermodelo Heidi Klum prometeu usar umvestido vermelho vivo de Galliano em benefício do combate àsdoenças cardíacas em mulheres. O vermelho foi a cor usada por Nicole Kidman no anopassado, então este ano a atriz australiana provavelmenteoptará por algo mais moderado. Nem sempre o que é ousado é fabuloso. Quem se lembra dovestido de cisne de Bjork em 2001? Enquanto isso, os produtores de artigos de moda e outros jáestão distribuindo presentes às estrelas para serem usados emtroca de publicidade. Mesmo as estrelas de cinema precisam deobjetos práticos comuns -- de preferência gratuitos. O batom L'Oreal Paris, por exemplo, vem em tom "vermelhotapete vermelho", e a Spanx criou lingerie para as interessadasem esconder quilinhos a mais. "Elas (as estrelas) são mulheres de verdade, como você oueu", disse Misty Elliott, da Spanx, cujo sutiã "Bra-llelujah"seria um dos favoritos de Jessica Alba. "Elas têm celulite, sim. E ninguém quer nada balançandoquando está percorrendo o tapete vermelho."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.