'ELE FOI O MELHOR DOS MELODISTAS'

Sua ligação pessoal e artística com Vinicius de Moraes sempre foi muito conhecida, e você já

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2013 | 02h11

dedicou um disco e um show ao poeta. No entanto, sua relação com Tom Jobim é pouco falada. Como foram os seus encontros com o maestro? Eram frequentes? Chegaram a conviver?

Vinícius era meu amigo, de perto, e isso logo que cheguei no Rio. O Tom eu conhecia pelas canções que chegavam na Bahia, e que ouvíamos apaixonados, mas pessoalmente demorou um pouco. Tivemos alguns encontros, promovidos por Vinicius, e mais tarde, pelo Chico Buarque, quando ele e Tom me deram a canção Anos Dourados, ou então eram encontros em gravações de TV, especiais de Roberto Carlos, almoços, e em sua casa para a entrega da canção a que me refiro.

Você chegou a acompanhar algum processo de criação de Tom e Vinicius? O que poderia falar sobre a relação criativa

da dupla?

Não tive esse privilégio.

Sabemos que Chega de

Saudade teve um impacto

imenso sobre os músicos da sua geração. Caetano, Chico, Gil e Gal costumam lembrar em detalhes o momento em que ouviram pela primeira vez a interpretação de João Gilberto. Você se recorda do momento em que ouviu pela primeira vez alguma canção de Tom e o impacto que isso

lhe causou?

Na Bahia, tudo que chegava da bossa nova era um acontecimento. Lembro de achar muito bonito o que ouvi da gravação de João Gilberto trazida por Carlos Coqueijo, mas me arrepio até hoje quando lembro ou ouço o disco da Elizeth Cardoso, apresentando a música extraordinária de Tom e Vinícius. Lembro também da novidade, da beleza dos acordes que

Dori Caymmi trazia.

Você nunca foi ligada à bossa nova e nem a nenhum outro

movimento. O que achava

da bossa nova como ouvinte? O que ainda costuma

ouvir desta época, nos dias de hoje?

Acabei de falar nesse disco da Elizeth, Carlinhos Lira, Silvinha Teles, Johnny Alf e minha adorada Nara, que fez a grande revolução, como musa, intérprete gloriosa.

Que aspectos da obra de Tom Jobim mais a

comovem? Se você tivesse

que escolher uma obra-

prima dele, qual seria?

Tom é para mim o melhor de todos os melodistas. Para mim, está junto de todos os grandes: Bach, Chopin, Villa Lobos, etc e tais. A sua música mais bonita? Olha Maria vem em

primeiro lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.