As fotografias de Newton

Entrevista com

15 de abril de 2012 | 03h10

ressaltam a força da mulher. É essa a essência de seu trabalho? Quando reunidas em série, as fotografias mostram uma imagem da mulher que não é aquela de um objeto, mas de um sujeito. É a imagem de uma mulher forte, dominante. Há um fascínio de Newton pelas mulheres independentes, poderosas.

Por que ele escolheu o mundo da moda, do luxo, do dinheiro para passar essa imagem da

mulher? Ele poderia ter feito o mesmo retrato a partir do mundo do trabalho, por exemplo?

Sem dúvida. Mas ele não escolheu esse mundo. Não era um filósofo ou um sociólogo que tentava provar sua tese, mas um artista, um fotógrafo que havia crescido em um mundo burguês. Era o seu meio.

Como era sua relação com o mundo mundano do luxo, do

dinheiro, da moda e do glamour? Tratava-se de uma relação de

adesão ou de um olhar estrangeiro?

Seu olhar é sempre muito livre, que é o melhor adjetivo para sua obra. Ele via o mundo de uma forma especial. Isso lhe permitia ser muito generoso ou cruel, sem concessões.

O senhor escreveu que Newton nunca gostou das mulheres "100% femininas". Talvez por isso, ele tenha valorizado a androginia.

Acho que você tem razão. É uma constatação. Quando observamos todas essas imagens vemos que há mais amazonas do que jovens frágeis. São esculturais, maciças. Esse princípio é claro em seu trabalho.

Newton viveu 60 anos ao lado da mesma mulher, June. Seu olhar sobre as mulheres era o

de um admirador fascinado, mais do que o de um dom-juan?

Creio que se deve fazer a distinção entre o homem Newton, que viveu cerca de 60 anos ao lado de June, e o artista Newton, que demonstra a todo momento que preferia fotografar a mulher do que o homem.

Qual é o papel de June na

realização desta exposição?

Esta é uma exposição sobre Newton, composta de um diálogo que tive com June. Mas uma das riquezas da exposição é que ela se beneficia do olhar especializado dela. Há 21 grandes nus que ele fez. June sabia que há deles que Newton considerava seus cinco melhores trabalhos. Ela traz sua memória. /A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.