Egito recupera 90 obras da antiguidade em Israel

Peças estavam em casa de leilões no país; comunicado indica que há mais obras já vendidas e que precisam ser encontradas

EFE

10 de novembro de 2013 | 21h32

As autoridades egípsicas recuperaram um total de 90 peças da antiguidade que estavam a venda de forma ilegal em uma casa de leilões em Jerusalém, Israel, informou neste domingo o ministério de Antiguidades egípcio.

Em um comunicado, o departamento explicou que, depois de reconhecer que as peças pertecem à uma civilação antiga, o ministério edípcio do Exterior pediu às autoridades israelenses que suspendessem a venda até que os responsáveis por ela comprovassem a posse das propriedades.

Contudo, Israel confiscou as peças depois que a casa de leilões no consegui comprovar a posse das peças, depois de ter vendido outras vinte obras que se suspeita serem também antiguidades egípcias.

O Egito pediu que Israel investigue os responsáveis pela casa de leilões para encontrar o destino das obras já vendidas e recuperá-las.

O comunicado não explica que tipo de antiguidades foram encontradas nem a que período pertencem. Por sua vez, o diretor do departamento de Antiguidades Recuperadas, Ali Ahmed, assinalou que sua administração detectou mais peças expostas em salas de leilões israelenses e exigiu que as autoridades do país tomem as medidas necessárias para recuperá-las.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.