Eduardo Suppes trabalha ideal do corpo perfeito

Naomi Campbell abriu o desfile de Eduardo Suppes dentro de um modelão brilhante, com cristais coloridos, daqueles de ofuscar a vista. E já que o assunto do estilista são corpos perfeitos (ou a busca excessiva por essa perfeição, chamada de Dismorfia), nada melhor do que usar uma Naomi, que no alto dos seus 32 anos exibe todas as curvas e retas no lugar.A idéia do estilista foi usar tesoura e linha para valorizar barrigas, seios, coxas e bumbum, todos os pedaços que são trabalhados na malhação (ou reconstruídos com bisturi). Por isso ele usou lingerie modeladora pós-cirúrgica como elemento de moda. Suppes tratou de colocar cristais, paetês, e fazer com a peça tops e vestidos, em composições de cru e preto. Já as estampas lembram músculos à mostra, sem falar no tom de vermelho carne que permeia a proposta.Atenção ainda para as construções de alfaiataria, para a regata de couro masculina e o vestido-trenchcoat de couro desfilado por Ana Hickmann. No final, Suppes entrou acompanhado de Naomi, com direito a selinho na ponta da passarela. Por falar na top, que tal um cortinho de cabelo, hein? Hoje, pelo menos, a fofa fez escova (coisa que não tinha dado tempo no desfile da Rosa Chá). Mas as madeixas da moça estão despontadas, que só...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.