Edu Lobo faz show de abertura

Nos anos 60, jovens que começavam a se aventurar por veredas musicais tinham como maior referência a bossa nova. Até um deles, nascido Eduardo de Góis Lobo, começar a quebrar os padrões. Chico Buarque até chegou a declarar que quando ouviu pela primeira vez a música de Edu, surpreendeu-se: "Ah, então pode fazer isso?". Muito dessa criatividade foi trazida pelo compositor em sua bagagem acumulada no Recife, onde passava férias escolares na casa dos tios, com ritmos, gêneros e escalas diferentes. Como a Flip deste ano homenageia o pernambucano Gilberto Freyre, a escolha por Edu para fazer o show de abertura foi natural. "Li pouca coisa dele, não sou um conhecedor, mas não tem como negar sua importância para o Brasil", diz Edu. Na apresentação de hoje, que também terá o percussionista Lucas dos Prazeres, o pianista e cantor Marcelo Jeneci, o quarteto de cordas da Osesp e a cantora Renata Rosa (com quem Edu cantará as sublimes A Santinha Lá da Serra, de Moacir Santos e Vinicius de Moraes, e Olha pro Céu, de Luiz Gonzaga e José Fernandes), Edu interpretará temas seus mais ligados ao Recife, como Angu de Caroço e Cordão da Saideira, além das antológicas Choro Bandido, Beatriz, Ode aos Ratos e Na Carreira.

Lucas Nobile, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.