Editora Senac investe em didáticos

MARIA FERNANDA RODRIGUES

MARIAF.RODRIGUES@GRUPOESTADO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2012 | 03h07

A Editora Senac São Paulo anuncia em agosto, na Bienal do Livro de São Paulo, sua nova linha editorial: os didáticos. Na mira não estão apenas os alunos atendidos anualmente pela instituição - só em São Paulo são 500 mil -, o que por si só já representa um mercado e tanto. De olho num setor que movimenta, segundo a Fipe, cerca de R$ 2 bilhões ao ano, a editora venderá as publicações em livrarias e já contratou um profissional para divulgar o catálogo em escolas técnicas e universidades. À frente do projeto em São Paulo estão Jeane Passos de Santana, publisher da editora desde 2011 - nos 15 anos anteriores ela foi responsável, lá, pelo setor de bibliotecas -, e a editora Thais Carvalho Lisboa, na empresa há sete anos. A iniciativa envolve ainda a matriz. A capacidade interna de produzir conteúdo é um dos diferenciais e por isso apostilas já eram feitas pela área educacional, mas sem esse olhar editorial prometido agora. A ideia é oferecer o conteúdo em diferentes suportes - livro, apostila e e-book - e deixar a escolha para o aluno. O primeiro passo foi ver quais eram os cursos mais carentes de material e quais precisavam de renovação. O escolhido foi o programa voltado para os jovens que ingressam no mercado de trabalho. Se Liga Nessa é a coleção que apoia esse curso, agora reformulada para inaugurar o novo catálogo. Como cada curso pede um tipo de material, pode ser que alguns - os mais curtos e da "moda" - ganhem só apostilas. Outros, livros ou jogos. Há seis projetos em andamento - entre reformulações e ideias novas, como cartilhas em HQ. Todos os envolvidos fizeram curso de capacitação do processo editorial.

MÚSICA

Obra bicentenária acessível

Theatro Ecclesiastico, de Frei Domingos do Rosário (ca. 1706-1779), teve sua primeira edição impressa nos idos dos anos 1700 e é, até hoje, boa fonte de pesquisa sobre a música sacra colonial. Poucos exemplares originais restaram no mundo. Um deles pertence ao acervo da Biblioteca Nacional e estará, a partir de julho, mais acessível ao leitor brasileiro. A Fundação Biblioteca Nacional vai editá-lo em dois volumes e ainda fará um fac-similar da 9.ª edição, impressa em Lisboa em 1817. A obra poderá ser comprada pelo site da Fundação Biblioteca Nacional, em sua sede no Rio ou em feiras de livro de que o órgão participar.

ROMANCE

Uma década de livros

Maria José Silveira comemora dez anos de carreira literária com o lançamento de Pauliceia de Mil Dentes, seu sexto romance, em setembro. O primeiro, que lhe rendeu o título de autora revelação do Prêmio APCA de 2002, foi A Mãe da Mãe de Sua Mãe e Suas Filha. O novo, que sai pela Prumo, tem como pano de fundo a diversidade e vitalidade da megalópole.

MEMÓRIA

Em nome da filha

Matriarca da família de velejadores Schurmann, Heloisa prepara livro para setembro em que trata, pela primeira vez publicamente, da história da filha adotiva Kat. Portadora do vírus da aids, a garota morreu aos 13 anos, em 2006, depois de dar a volta ao mundo com os pais. Há outros livros sobre as aventuras da família. Pequeno Segredo: As Aventuras de Kat Schurmann sai pela Agir.

HISTÓRIA

Antes da revolução

Organizada por Emília Viotti, a coleção Revoluções do Século 20, da Unesp, ganha seu 19.º volume em agosto, na Bienal do Livro de São Paulo. A Revolução Sul Africana recria o ambiente que deu origem à revolução enraizada em condições históricas peculiares - a contradição entre classe e raça. A obra de Analúcia Danilevicz Pereira, professora do Programa de Pós-graduação em Estudos Estratégicos Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e pesquisadora do Centro de Estudos Brasil-África do Sul, mostra ainda como, nesse cenário, emerge sua liderança máxima, Nelson Mandela, explicitando a trajetória ainda pouco conhecida do político que se tornaria modelo mundial de resistência.

FILOSOFIA

Vontades de Ricoeur

No centenário de nascimento do pensador francês Paul Ricoeur (foto acima), celebrado em fevereiro de 2013, a É Realizações lança A Filosofia da Vontade, publicado originalmente nos anos 50. Sairá em um box com três volumes: O Voluntário e o Involuntário (1950), Finitude e Culpa: O Homem Falível (1960) e Finitude e Culpa: A Simbólica do Mal (1950).

POESIA

Pluralidade na web

Um mês depois da estreia, a revista virtual de poesia Mallarmargens, idealizada por Marceli Andresa Becker e Wesley Peres, já ultrapassou os 60 mil acessos e a média diária tem ficado em 3 mil. A publicação não pretende fazer a cartografia da poesia contemporânea, apenas dar uma amostra do que brasileiros como Mariana Ianelli, Claudia Roquette-Pinto, Micheliny Verunschk, Rodrigo Garcia Lopes e Adriana Lisboa vêm produzindo. Há mais de 80 autores no índice, e outros ainda podem entrar - desde que aprovados pelo conselho editorial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.