Editora recolhe autobiografia 'falsa' nos Estados Unidos

Irmã da autora de 'Love and Consequences' alertou para fraude na história do livro.

Da BBC Brasil, BBC

05 de março de 2008 | 18h05

Uma autobiografia escrita por uma americana que alegava ter sido criada na pobreza e ter atuado como traficante de drogas para uma gangue em Los Angeles está sendo considerada uma fraude.A revelação sobre Love and Consequences (Amor e Conseqüências, em tradução livre), escrito por Margaret B. Jones, foi feita pela própria irmã da autora, Cyndi Hoffman, que avisou a editora Riverhead.Jones é, na verdade, Margaret Seltzer, é branca e não mestiça de índios americanos, como alega no livro, e cresceu em uma área mais rica de San Fernando Valley, no Estado da Califórnia, e não em um orfanato na área de South Central, em Los Angeles, notória pela presença de gangues e tráfico de drogas.A Riverhead recolheu todos os 19 mil exemplares do livro já distribuídos e cancelou a turnê promocional programada para a autora.A revelação ocorre depois da descoberta, no mês passado, de que a autora belga, Misha Defonseca (cujo verdadeiro nome é Monique De Wael) inventou a história de que sobreviveu na companhia de uma matilha de lobos à ocupação nazista na Europa em Misha: A Memoire of the Holocaust Years."Oportunidade"A suposta autobiografia de Jones conta a história de uma menina mestiça de brancos com índios americanos que foi enviada para um orfanato depois de sofrer abuso sexual. Ela teria ganhado um revólver ao completar 14 anos e vendido drogas para uma gangue até ter sido resgatada por uma mulher negra que a criou.A autora admitiu que baseou a história do livro nas experiências de amigos que conheceu quando participava de iniciativas contra gangues em Los Angeles."Eu estava realmente dividida", disse a autora ao jornal americano The New York Times. "Eu achei que esta era uma oportunidade para dar uma voz a pessoas a quem os outros não dão ouvidos."Em uma nota, a editora afirmou que Seltzer deu "muitas evidências para apoiar a sua história"."Quando se soube que a autora falsificou sua história pessoal, nós levamos isso a sério e agimos rápido", disse a Riverhead.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
livrofraudeliteraturaautobiografia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.