Editora paga US$ 4 milhões por diários de Kurt Cobain

Sai em novembro nos Estados Unidos olivro com os diários de Kurt Cobain, que morreu em 1994. A Riverhead, uma divisão da editora Penguin Putnam, pagou US$ 4 milhões de adiantamento à família do líder do Nirvana para ter os manuscritos.Ao todo, são 23 diários e mais de 800 páginas em que o músico fez desenhos em preto-e-branco, escreveu letras de canções e uma lista de artistas que influenciaram seu trabalho em várias épocas: principalmente Joni Mitchell no início e a banda feminina Breeders no final de sua carreira.Sua viúva, Courtney Love, aparentemente não leu todos os diários e não tem nada a ver com o projeto do livro. O que ainda não foi revelado é se os diários dão alguma pista sobre o que levou o cantor a se suicidar em 1994, aos 27 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.