Reprodução
Reprodução

Editora lança a caixa 'Mutarelli - Sketchbooks'

Cezar de Almeida e Roger Bassetto selecionaram entre os cadernos de esboços do artista aqueles em que sua atividade era mais febril

JOTABÊ MEDEIROS - O Estado de S.Paulo,

15 de novembro de 2012 | 02h13

O processo criativo de um artista pode ser uma caixinha de surpresas, como diria aquele clichê esportivo. No caso de Lourenço Mutarelli, a caixinha contém uma abertura para um mundo imponderável de investigações visuais, que se alimenta de todo tipo de experiência cotidiana para chegar ao seu intento: embalagem de remédio, post-it velho, códigos de barras, selos de qualidade industrial.

Os editores Cezar de Almeida e Roger Bassetto selecionaram entre os cadernos de esboços do quadrinista, ator, escritor, roteirista e dramaturgo aqueles em que sua atividade era mais febril, produziram uma edição fac-símile e empacotaram cinco deles na caixa Mutarelli - Sketchbooks (POP Editora, R$ 150).

O papel do esboço no artefato artístico é o objetivo da coleção da editora. Lourenço Mutarelli, vencedor do prêmio HQ Mix, é autor de 11 celebrados álbuns em quadrinhos. Já lançou cinco romances (prepara um inédito, Ninguém Gritava na Ponte, dentro do projeto Amores Expressos). Dele, a Companhia das Letras publicou também O Natimorto e Miguel e os Demônios. Assinou a arte do filme Nina, dirigido por Heitor Dhalia, e seu romance O Cheiro do Ralo foi adaptado para o cinema, estrelado por Selton Mello. Foi um dos vencedores do prêmio Portugal Telecom com o livro A Arte de Produzir Um Efeito Sem Causa.

No ano passado, lançou o álbum Quando Meu Pai se Encontrou com o E.T. Fazia um Dia Quente, pela Companhia das Letras. Em julho deste ano, saiu a reedição do clássico Diomedes - A Trilogia do Acidente, único equivalente, no Brasil, a American Splendor, de Harvey Pekar.

A nova caixa de Mutarelli será lançada dia 6 de dezembro no Instituto Tomie Ohtake, a partir das 19h30. Também será tema do simpósio Sketchbooks e o Processo Criativo, que acontecerá de 21 a 23 de novembro na ESPM de São Paulo (os palestrantes: Lourenço Mutarelli, Carla Caffé, Guto Lacaz, Hiro Kawahara, José Carlos Lollo, Renato Alarcão, Cadu Costa e Aguinaldo Farias).

No mesmo dia do lançamento, das 19h30 às 22 h, o Instituto Tomie Ohtake preparou uma pequena exposição de apoio ao livro de Mutarelli. Serão 20 imagens de páginas duplas em papel e impressão de qualidade, assinadas e numeradas, além de uma vitrine (fechada) com mais de 40 cadernos abertos, que permanecerão no hall do instituto por dez dias.

Os cadernos de Mutarelli vêm inaugurar um filão que já é uma tradição nos mercados editoriais americanos e europeus. "Acho que o projeto anterior da POP, o livro Sketchbooks, já lançava um olhar interessante sobre essa possibilidade. Espero que esse caminho seja aberto. Eu adoro isso, enquanto leitor", analisou Lourenço Mutarelli, em entrevista ao Estado.

Mutarelli - Sketchbooks estará à venda no site da editora (www.editorapop.com.br) e também poderá ser encontrado na rede de livrarias Cultura e na Livraria Gaudí, localizada no interior do Instituto Tomie Ohtake.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.