Editora da "Penthouse" pede concordata

Na tentativa de renegociar suas dívidas, a editora americana da revista Penthouse pediu concordata esta semana, em Nova York. A General Media Inc. acredita que a revista continuará sendo publicada mensalmente, enquanto arruma a casa e conversa com os credores. Segundo o jornal inglês The Guardian, a empresa tem de renegociar US$ 50 milhões. O advogado Robert Feinstein diz que a editora espera faturar mais licenciando a marca Penthouse para vídeos adultos, clubes e sites.A General Media é uma subsidiária da Penthouse International - que, a propósito, não pediu concordata. Lançada em Londres há quase quatro décadas, a Penthouse sempre foi considerada uma rival da Playboy mais chula e ousada. Nos últimos anos, na tentativa de fazer frente à concorrência on-line, investiu ainda mais nas fotos explícitas. Apesar disso, ou justamente por conta disso, seu público encolheu. De 1998 a 2003, sua tiragem caiu de um milhão para 566 mil exemplares. No mesmo período, a Playboy manteve sua circulação em torno de 3,2 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.