Editora alemã publica obra acusada de anti-semitismo

A Suhrkamp Verlag decidiu publicar o romance acusado de anti-semitismo escrito por Martin Walser, um dos mais conhecidos autores alemães. Conforme anúncio da editora, uma das mais fortes do país, a obra irá à venda para que o público faça seu próprio juízo.A polêmica em torno de Tod eines Kritikers ("Morte de um Crítico") começou em maio, quando o influente Frankfurter Allgemeine se recusou a publicar capítulos do livro por considerá-lo um "documento de ódio" que teria o povo judeu como alvo.O livro conta a história do suposto assassinato de um crítico influente. O personagem, conforme as primeiras leituras, seria inspirado em Marcel Reich-Ranicki, um crítico judeu de origem polonesa que sobreviveu ao Holocauso. Na obra, um escritor é suspeito de tê-lo matado, mas ao longo da trama descobre-se que o assassinato foi forjado pelo próprio crítico.Walser nega que obra tenha perfil anti-semita. Para ele, a história é uma "comédia" que satiriza o poder da crítica literária e da televisão. Reich-Ranicki também se manifestou sobre a obra. Em entrevista à TV alemã, ontem à noite, disse que o livro é "altamente anti-semita". Ele lamentou que "um livro como este seja escrito na Alemanha em 2002", mas afirmou que, ainda assim, a obra deve ser publicada. Tod eines Kritikers chega às livrarias em 26 de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.