É preciso reencontrar o rumo do real objetivo

Em conversa com jornalistas, no último dia do festival, o coordenador do evento, Sérgio Fidalgo, reiterou o que já havia dito ao Estado dias atrás: tudo está em aberto para o próximo ano e o formato apresentado em 2012 pode ser modificado. Tomara seja assim, pois, apesar da boa qualidade de alguns filmes, os problemas da fórmula adotada por Brasília ficaram visíveis.

O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2012 | 03h42

Primeiro, não se justifica a divisão rígida entre documentários e ficção numa época em que muitas obras são limítrofes entre gêneros. O caso simbólico aconteceu com Esse Amor Que nos Consome que, na dúvida, inscreveu-se nas duas categorias. Foi selecionado como ficção, como poderia ter sido como documentário. Vários outros filmes estão no mesmo caso. A divisão, parece, foi feita apenas para inchar o festival e atender às reivindicações de classe dos realizadores. Dessa maneira, segmentou-se entre ficção, documentários e animações (estes apenas como curtas).

Houve prêmios para todos os lados e gostos. Na noite de encerramento, distribuíram-se nada menos que 70 troféus. Cada um recebido com o inevitável discurso de agradecimento. Imaginem o tédio da cerimônia. E houve quem sugerisse o televisionamento do evento. Quem veria tal espetáculo? Com o inchaço de filmes e categorias, as obras deixaram de ser discutidas como se deve - característica mais marcante na tradição de um festival reflexivo e político como o de Brasília. Urge voltar à sua inspiração inicial. A conclusão é de que falta curadoria ao evento. Um grupo de pessoas qualificadas, capaz de pensá-lo estrategicamente e em nome do seu único fim legítimo, a apresentação de uma amostragem de filmes que retrate tendências e sua discussão em profundidade. O festival está sem rumo e à mercê de grupos de pressão. / L.Z.O.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.