E na novela, quem cuida da música?

João Araújo ficou por 35 anos na Som Livre, a gravadora da Globo. Hoje, quem cuida da companhia é o presidente Leon Ganem. Com um mercado em que qualquer um pode fazer sua coletânea pela internet, a Som Livre, especializada também em trilhas de novela, repensa suas estratégias. "A coletânea deixou de fazer sentido. Estamos voltando a desenvolver laços com os artistas", diz Ganem. Três nomes já fazem bons números por lá: Maria Gadú, Padre Fábio e Luan Santana. Na sala de reuniões da gravadora, em Botafogo, Leon Ganem e João Araújo falaram, nem sempre em consonância, da relação entre música e TV Globo.

Entrevista com

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2010 | 00h00

A Globo, tendo o poder que tem, não poderia fazer mais pela música brasileira?

Leo: É difícil mexer na grade da Globo porque ela funciona, dá audiência. Hoje, talvez mais do que antes, a Globo é importante para consolidar a imagem de um artista junto a seu público, já que as outras mídias se fragmentaram demais. O que as pessoas continuam assistindo muito são as novelas, então a capacidade de gerar sucesso está mais concentrada ainda.

Novela ajuda ou atrapalha o artista? Aquela música bombardeada todos os dias não a desgasta?

João: Eu acho que a novela já foi mais importante para o artista. O setor de música da Globo está deixando um pouco a peteca cair porque você não pode... Quando lança uma novela, que custa milhões, não pode lançar essa novela com uma música do Silvio Caldas. Eu acho que não pode ser assim nunca. Uma novela nova precisa de uma música nova. Mas aí tem o problema do diretor, do autor, do coautor, que pedem as músicas que eles querem. Se a Globo for ouvir o autor, coautor, diretor e a filha do autor, estamos f....

Música em novela de Manoel Carlos, claramente, é escolhida por ele mesmo, não é?

João: Maneco chegava e dizia: "Música de novela tem de ser com o autor. Eu sou o responsável pelo acabamento, quando penso nesse personagem penso nessa música."

Leo: A Globo dá a responsabilidade da audiência para o autor e para o diretor, então faz sentido.

João: Mas veja a controvérsia nisso que você está falando. Então vamos estender ao autor da novela a escolha das roupas, do cenário, de tudo. Eles não podem ter essa liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.