Ique Esteves/Divulgação
Ique Esteves/Divulgação

'E aí, comeu?' já foi visto por 1,9 milhão

Filme é o primeiro nacional a ultrapassar a marca de um milhão de espectadores neste ano

FLAVIA GUERRA - O Estado de S.Paulo,

24 de julho de 2012 | 03h11

Bruno Mazzeo é só alegria. Seu mais novo longa-metragem E aí, Comeu?, em que ele atua e coproduz ao lado de Augusto Casé, acaba de bater a marca de 1,9 milhão de espectadores - e deve alcançar os 2 milhões no próximo fim de semana. Em ano considerado ruim para a bilheteria do cinema nacional, o longa dirigido por Felipe Joffily é o primeiro a ultrapassar a marca de um milhão de espectadores.

"Estou feliz. Lançamos o filme bem, em mais de 500 salas, mas sem expectativa exagerada. O melhor é que o filme está funcionando no boca a boca. E as pessoas estão gostando, vêm falar comigo na rua e contar que estão saindo de casa para ver o filme. Isso é muito mais significativo do que quando veem uma novela em casa", comenta o ator e roteirista, que atualmente está no ar como Tom Bastos, na novela Cheias de Charme.

Para Mazzeo, o cinema brasileiro está em fase de formação de público. "O fato da classe C estar indo mais ao cinema é muito significativo." Mas e as críticas negativas que o filme recebeu não afetaram a campanha do longa? "Não. A crítica não atrapalha. E já percebi que nada meu vai ser para crítico. Acho só uma pena que a crítica talvez pudesse ajudar neste momento, já que o cinema é uma das maneiras de se construir a imagem de um país", comenta Mazzeo, que em E aí, Comeu? vive o arquiteto Fernando, às voltas com uma adolescente por quem se apaixona.

"Veja este exemplo. Quando lancei o Cilada.com, um jornal publicou uma crítica em que dizia que o filme era uma pornochanchada, como se fosse algo negativo. Agora, com o E aí, Comeu?, o mesmo jornal publicou que o filme era careta, 'que saudade da pornochanchada'. Afinal o que querem?", brincou o ator.

"Não acho que tenha só de haver drama no cinema, apesar de adorar dramas. Aliás, por exemplo, adoro os filmes do Cláudio Assis. E não sei por que ele tem de falar mal do meu filme. Todo mundo tem de fazer filme igual?", questiona, em menção às críticas que recebeu do diretor Pernambucano, de Febre do Rato. "Um filme como O Palhaço, por exemplo, que ele tenha feito mais de um milhão de espectadores me deixa muito feliz. O sucesso de um filme não significa o fracasso do outro. Não adianta julgar o E aí, Comeu? com a cabeça de Febre do Rato."

De olho no público da comédia brasileira, Mazzeo e o produtor Augusto Casé apostaram em um lançamento forte no primeiro fim de semana. "É a tendência de mercado e investimos nas mais de 500 cópias. Perdemos salas na segunda semana, mas mantivemos nossa média. E estamos nos mantendo", comenta Casé que, ao lado de Mazzeo, se prepara para produzir Os Cara de Pau (Leandro Hassum e Marcius Melhem) e Muita Calma Nessa Hora 2.

Sobre a recente polêmica ocorrida após a declaração que Mazzeo teria dado sobre o twitter à Revista da TV, ele explica: "Acho muito difícil eu ter dito que só tem gente burra no twitter porque não concordo com isso. Ganhei uma fama de arrogante, coisa que nunca fui. Uma coisa é eu falar que os artistas que eu mais admiro não têm twitter. Outra é dizer que tem muita gente burra no twitter. Outra é dizer que quem é inteligente não usa twitter. Nem tenho como fazer este mapeamento."

Tudo o que sabemos sobre:
E aí, comeu?Bruno Mazzeo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.