Dustin Hoffman diz que Hollywood não valoriza os mais velhos

Ator de 71 anos afirma que o cinema na Europa 'ainda honra as histórias de amor sobre pessoas com mais idade'

Mary Milliken, da Reuters,

23 de dezembro de 2008 | 12h01

Aos 71 anos, o ator Dustin Hoffman diz que nunca vai se aposentar, mas pode ter de ir bem além de Hollywood para encontrar os papéis de que gosta. Seu último filme, Last Chance Harvey é uma pequena ode ao amor encontrado na maturidade, um tema que promete sucesso entre uma fatia crescente do público que vai ao cinema - os maiores de 40 anos. O filme estréia nos Estados Unidos no Natal, 25. No filme, Hoffman, que interpreta Harvey, conhece Kate (Emma Thompson). O ator disse que gostaria de fazer mais filmes para fãs mais velhos, mas não acha que os estúdios de Hollywood - que tendem a fazer grandes filmes, para abarrotar os cinemas - sejam capazes de assumir o público mais velho. "Se eu tivesse de usar minha energia, não seria para mudar o sistema dos estúdios. Seria para acrescentar duas ou três línguas ao meu repertório, que hoje consiste somente em inglês de rua", disse Hoffman em uma entrevista recente. "Se eu falasse francês, espanhol e italiano, trabalharia em filmes que me interessam mais. Eles ainda honram as histórias de amor sobre pessoas com mais idade. Você pode envelhecer na Europa". Hoffman, nascido e criado em Los Angeles, diz nunca ter entendido, quando criança, a obsessão com a juventude. Para ele, existe nos Estados Unidos "uma falta de respeito com a idade que não existe em todos os países".

Tudo o que sabemos sobre:
Dustin HoffmanHollywood

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.