Duo revigora épico sentimental de Morricone

O mesmo papel desempenhado por Quentin Tarantino no cinema, ao reverenciar o western spaghetti de Sergio Leone, é agora encarado pelo produtor Danger Mouse (Gnarls Barkley) e o compositor italiano Daniele Luppi na música. O alvo é a estética monumental de Ennio Morricone, autor de trilhas de clássicos do faroeste dos anos 60 e 70. O típico clima conspiratório dos temas ganha forte apelo pop nas mãos da dupla, ajudando a descolar do clichê imagético. Rome, em seus meros 35 minutos, tem acabamento impecável e a voz de Jack White e Norah Jones em diversas faixas. Quer coisa mais cool? Ele se sai melhor, canta entre o grave e o trêmulo, imprime o mesmo requinte de crueldade dos personagens maltrapilhos de Leone. Ela não chega a comprometer, mas parece funcionar no piloto automático: sóbria e suave. A cereja do bolo é a épica Theme of Rome, com a veterana Edda Dell"Orso, de Três Homens em Conflito, em jornada vibrante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.