Dubladores consolidam sucesso de personagens

O que os personagens Popeye, Alf e Scooby-Doo têm em comum, além de estarem há décadas fazendo sucesso na televisão? Acertou quem respondeu que todos têm a mesma voz. O verdadeiro dono dela, o ator Orlando Drumond, é dublador há mais de 40 anos, mas também faz sucesso na frente das câmeras, interpretando o afetado homossexual Seu Peru, da Escolinha do Professor Raimundo, no Zorra Total. Diferente do que muita gente pensa, para ser um dublador, é fundamental que a pessoa tenha uma formação de ator, com registro profissional.Na opinião do experiente dublador, uma das principais dicas para quem pretende investir na carreira, é o cuidado em criar vozes marcantes para cada tipo de personagem e aproximá-la ao máximo do original. "Há 30 anos dublo o Popeye, há 20 faço o Scooby Doo e há pouco mais de 10 anos, o Alf. Felizmente, foram raras às vezes que perdi outros trabalhos por causa da minha voz. Por isso, é preciso disfarçá-la para cada novo trabalho", reforça.Sincronia - Para quem deseja tornar-se um bom dublador, há cursos voltados para atores, ministrados por profissionais que estão há muito tempo na área. Estúdios como a BKS e a Álamo, de São Paulo, contam com esse tipo de serviço. Sandra Azevedo, diretora de dublagem da Álamo, e dona da voz da personagem Chiquinha, do seriado mexicano Chaves (SBT), aposta no talento dos atores. "É fundamental que os dubladores tenham uma boa dicção, voz limpa, timing para falar, e, principalmente, talento nato", explica.A escolha dos atores no processo de dublagem varia de acordo com os profissionais dos quais os estúdios dispõem em seu cast e das características de cada um deles. "Quando estamos em um estúdio, o processo é o seguinte: um por vez entra em uma cabine e à sua frente tem uma TV, um fone de ouvidos com o som original e o filme traduzido. Simultaneamente, o dublador tem que ouvir, ler e encaixar a fala com toda precisão para que não falte sincronia no tempo em que a boca do ator mexe e a voz entra no ar", explica a atriz Marta Volpiani, dona da voz da personagem Dona Florinda, também da série Chaves.Mirins - Para dar maior autenticidade às vozes de crianças em filmes e desenhos, muitos estúdios dão oportunidades a astros mirins. Mas a dificuldade de mantê-los como as vozes-padrão de determinados personagens surge a partir do momento em que as crianças começam a mudar o timbre de voz. Justamente por isso, muitos estúdios optam por atores adultos fazendo vozes infantis. Isto não significa que não haja campo de trabalho para a criançada, livre da obrigatoriedade de possuir um registro profissional da categoria (necessário a partir dos 18 anos de idade). Jussara Marques, intérprete da Maluca do programa Disney Club, do SBT, é um exemplo disso. Ela começou a trabalhar aos 10 anos de idade e hoje, aos 15, já se considera uma "veterana" na profissão."Acho que uma das maiores dificuldades da dublagem é assistir ao filme e ler o texto original simultaneamente", aponta a jovem atriz, que dubla a personagem Helga, do desenho Hey, Arnold!, exibido pelo canal Nickelodeon. "No caso da Helga, por exemplo, que fala muito e rápido demais, me perco um pouco na hora das gravações. Mas adoro minha profissão e se tivesse que escolher apenas uma, não saberia optar somente pela carreira de atriz ou de dubladora".Informações sobre cursos para dubladores:Álamo - Rua Fidalga, 568 Vila Madalena - São Paulo Fone: (11) 813-9033BKS - Rua Tibério, 286 Água Branca - São Paulo Fone: (11) 3862-4091 Herbert Richers - Rua Conde de Bonfim, 1331 Bairro da Tijuca - Rio de Janeiro Fone: (21) 570-8142.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.