Duas visões do amor refrescam temporada do TBC

Com seis composições criadasespecialmente por Chico César, estréia nesta terça-feira no TeatroBrasileiro de Comédia a peça A Luz dos Olhos Meus, texto edireção de Eliézer Rollim e no elenco está seu irmão LincolnRollim e Patrícia Horta. E nesse fim de semana, no mesmo teatro,volta ao cartaz o infantil Anunciação, com texto e direçãode Lincoln, espetáculo ganhador do Prêmio Panamco 2000 nacategoria estréia.Por coincidência, os dois espetáculos falam de amor. Ainspiração para A Luz dos Olhos Meus surgiu há dois anos,quandos os irmãos Eliézer e Lincoln participavam, no Nordeste,das gravações do filme O Baile Perfumado. "Estávamos numarodoviária de Garanhuns, em Pernambuco, sem ter o que fazer,quando vimos um cego e uma mulher, sua guia, ele tocando umrealejo e ela uma viola de plástico", conta Eliézer. "Nosaproximamos e quando a mulher saiu de perto por uns minutos, eleperguntou se ela era bonita, dizendo que ´arrumaram´ ela paraele. A felicidade deles transbordava. Ambos estavam em estado degraça. Eram pessoas sozinhas e alguém resolveu juntá-los. Elesnão tinham nada, mas tinham tudo. Estavam felizes de terem um aooutro", diz Lincoln.Esse encontro foi o ponto de partida para o espetáculoque estréia amanhã à noite. A história do cego Quinô(Lincoln) que vive só num casebre depois de uma longa separaçãoda esposa, que o traiu. Subitamente, chega a sua casa Candinha,trazendo uma carta da ex-mulher, uma carta de perdão. Começa aíuma relação entre Quinô e Candinha, cheia de arestas de início."Ele é grosseiro e resmungão com ela, que já gostava dele háalguma tempo", diz Lincoln. Quinô perdera a confiança nasmulheres, confiança aos poucos recobrada pela atitude deCandinha. Aos poucos, a rudeza vai cedendo lugar à ternura."O texto é muito bonito. O mais difícil foi fazer oolho do cego. Foi um longo exercício", comenta Lincoln. Ocenário remete a um casebre, mas é feito de nichos, onde estãodepositados os mais diversos objetos, imagens de santos entreeles. "Cegos guiam-se pelo tato, então achamos legal criarparedes para serem tocadas, com sua organização muitoparticular."Fácil mesmo foi conseguir a participação de Chico César.Afinal, ele e os irmãos Rollim cresceram em cidades vizinhas naParaíba. A amizade entre eles começou na infância econsolidou-se mais tarde, quando estudavam em João Pessoa.Eliézer é ainda o autor da adaptação do texto de Vau deSarapalha para o Grupo Piollim. Afinado com esses artistas,Chico César assistiu aos ensaios e compôs uma trilha que,segundo Eliézer, contribuiu intensamente para a beleza edramaticidade do espetáculo.Assim como A Luz dos Olhos Meus, o infantilAnunciação conta uma história de amor, mas numa linguagembem diferente. "Aqui a linha é mais para o folhetim circense",diz Lincoln. O casal em Anunciação é formado pelos palhaçosCarlão e Fiorina. "Na tradicional dupla de palhaços os númerostêm pontapé na bunda, um palhaço dominador e outro que obedece,além de tapas e socos. E, dificilmente, tem mulher palhaço nessehistória", observa o diretor. O humor nos números de Carlão eFiorina surge justamente do namoro entre eles, namoro puro,quase platônico, com o qual as crianças se identificam e seencantam.A Luz dos Olhos Meus. Drama. Texto e direção EliézerRolim. Duração: 50 min. Terça a quinta, às 21 horas. R$ 15,00.Anunciação. Texto e direção Lincoln Rollin. Duração 50 minutos.Sábado e domingo, às 16 horas. R$ 10,00; TBC. Rua Major Diogo,315, tel. 3115-4622. Até 23/11.

Agencia Estado,

01 de outubro de 2001 | 17h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.