Duas semanas para fazer e discutir arte

Um lugar idílico, com todo oconforto, acomodações e ateliês à disposição e uma ampla agendacultural, com exibição de filmes, discussões sobre artecontemporânea e outros temas afins e, por que não?, um baile nofim de semana. Essa programação, que mais parece um sonho paraquem produz arte neste país, está prestes a se tornar realidade,com o início do evento Faxinal das Artes, patrocinado peloSecretaria da Cultura do Paraná e que reunirá, a partir desexta-feira, uma centena de artistas numa antiga vilaresidencial a 400 quilômetros de Curitiba. O local, construído para abrigar os operários queconstruíram uma hidrelétrica na região, é normalmente usado paraprogramas de reciclagem de professores e pela primeira vezservirá para esse inovador programa de imersão. A idéia dosorganizadores, no entanto, é que seja a primeira de váriasedições do evento. A julgar pelo sucesso inicial da empreitada, issoparece garantido. Apenas quatro dos artistas chamados pelocurador Agnaldo Farias - que também responde pela seleção donúcleo brasileiro da 25.ª Bienal de São Paulo - recusaram oconvite e isso porque tinham compromissos anteriores. "Existemuita curiosidade sobre o que os outros estão fazendo", explicaFarias, afirmando que é "exatamente de iniciativas como essaque os artistas estão precisando: de debate, de um espaço deencontro para compartilhar experiências". Exatamente para viabilizar essa troca em condições deampla liberdade, os artistas não estão previamentecompromissados com nada. Quem quiser produzir terá todas ascondições de fazê-lo (os organizadores estão se preparando parafornecer até mesmo algum material e instalações adequadas), masquem quiser apenas trocar idéias e acompanhar os debates podefazê-lo à vontade. Os dias do programa serão normalmente divididos daseguinte maneira: de manhã haverá encontros entre os convidados,em que alguns deles exporão suas linhas de pesquisa. De tarde,eles estarão livres para desenvolver os trabalhos que quiserem(nos chalés ou no grande galpão organizado para abrigar oficinasmais complexas). À noite estão sendo organizados vários debatese apresentações culturais, com a presença de vários convidados,para debater questões como mercado, hibridismo cultural,curadoria, crítica e mídia, etc. Além dos convidados a essaimersão prática e conceitual, também passarão pelo local váriosoutros agentes culturais - ligados direta ou indiretamente àsartes plásticas - para discutir temas relativos à área ouampliar o raio de ação do projeto. Entre os convidados estãodesde o arquiteto Paulo Mendes da Rocha até um matemático, quedividirá uma mesa com Carlos Fajardo. O artista falará do espaçosensível, enquanto o cientista Tom Farad falará do espaço namatemática. A seleção de convidados não segue nenhum critérioespecífico, a não ser a presença mais predominante de artistasde origem paranaense (que ocupam 30 das 100 vagas disponíveis).Entre os indicados há jovens como Lia Chaia e artistas maisexperientes como Emmanuel Araújo, performáticos como Laura Limae pintoras sensíveis, como Maria Teresa Louro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.