Dr. House vai cuidar da alma

Polivalente, o britânico Hugh Laurie não é só um ator brilhante a compor um dos personagens mais legais que apareceram na TV dos últimos tempos. Ele ainda escreve, dirige e é músico autodidata. Quem o acompanha no programa House sabe: o piano e a guitarra debulhados em desfechos de muitos capítulos não são apenas trucagens da ficção televisiva. Existe uma verdade ali, forte o suficiente para inspirá-lo a encarar os microfones e gravar o honestíssimo Let Them Talk. Aficionado por blues, Laurie promove uma verdadeira imersão pelas variantes do gênero de New Orleans. E o melhor: não faz só. Ao lado do produtor Joe Henry, recrutou especialistas de renome para dar conta de um repertório nada óbvio. Sir Tom Jones e a rainha do soul Irma Thomas, por exemplo, unem forças no delta blues Baby, Please Make a Change - acústico e de arrepiar! O mestre do piano Dr. John está no lamento After You''ve Gone, enquanto Allen Toussaint, outro gênio, dá uma passada em várias faixas do álbum. Perceba o inusitado: temos um inglês, branco, ator, recuperando música e mitos da América sulista do início do século 20. Poderia soar aventureiro, mas como numa das epifanias de House, o diletante Hugh Laurie encontra solução legítima e perspicaz para o que parecia improvável.

Emanuel Bomfim, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.