Doris Lessing ganha prêmio na Espanha

A escritora inglesa Doris Lessing, de 81 anos, ganhou o Prêmio Príncipe de Astúrias de Literatura 2001, conforme foi anunciado hoje em Oviedo, na Espanha, um júri presidido pelo diretor da Real Academia Espanhola Víctor García de la Concha. Entre as 36 propostas apresentadas, aos jurados a eleita foi Doris Lessing. Na disputa estavam a norte-americana Susan Sontag, a poetisa portuguesa Sofía de Mello, o peruano Alfredo Bryce Echenique e os espanhóis Alonso Zamora Vicente, Juan Marsé e Ana María Matute, que chegaram mais perto da escritora britânica."Criadora de um imaginativo mundo cotidiano, seus personagens, filhos da sociedade contemporânea, oferecem um fiel reflexo moral do século 20", disse García de la Concha lendo o comunicado do júri". Ele elogiou ainda de sua dedicação à literatura e sua luta apaixonada pela liberdade no Terceiro Mund, especialmente contra o racismo na África, país onde viveu.Doris Lessing nasceu em 22 de outubro de 1919, na localidade persa de Kermanshash (atual Irã), para onde seu pai foi transferido como oficial do Exército Britânico. Aos 5 anos sua família mudou-se para o Zimbabwe, na África, onde viveu sua infância e juventude. Depois de dois casamentos, em 1949 ela voltou à Inglaterra onde vive até hoje. Doris escreveu mais de 30 obras. Em cinqüenta anos de carreira publicou livros de temas variados, inclusive ficção científica, muitos deles traduzidos no Brasil, como Debaixo da Minha Pele e Andando na Sombra, que contam sobre sua vida na África e que foram publicados respectivamente em 1997 e 98, pela editora Companhia das Letras. É autora de uma obra importante, O Carnê Dourado, que enfoca a crise pessoal e artística de uma mulher, publicado em 1962. É considerada como uma obra chave da literatura britânica da segunda metade do século 20. Com este livro ela ganhou o Prêmio Medicis em 1976, um das mais prestigiadas premiações literárias francesas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.