Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Doria culpa a chuva e o tempo ruim pelo esvaziamento da Virada Cultural: 'Foi São Pedro'

Prefeito de São Paulo minimizou os inúmeros problemas do evento

João Paulo Carvalho, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2017 | 15h59

O prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) culpou a chuva e o tempo ruim pelo chamado "esvaziamento" da Virada Cultural, que foi realizada neste fim de semana na capital paulista. "Foi São Pedro quem mandou chuva e frio. Nessas 24 horas de evento, 14 foram de chuva e tempo ruim. Por este motivo, tinha bem menos gente no domingo. No sábado, quando não houve chuva, a Virada funcionou muito bem", disse Doria na manhã desta segunda-feira, 22, em uma coletiva de imprensa realizada na sede da Prefeitura de São Paulo. 

Ainda de acordo com o prefeito, ele não compareceu ao evento pois tinha outros compromissos, incluindo a megaoperação feita na Cracolândia na manhã de domingo, que resultou na prisão de 38 traficantes. "Eu tinha outro compromisso para cumprir, que era a missão da Cracolândia. Essa, com todo respeito, é uma missão mais importante do que a Virada Cultural. Aliás, ela estava sob um ótimo comando com o secretário da cultura, André Sturm", complementou ele.

Esvaziamento. Na coletiva realizada na noite do último domingo, 22, o secretário de Cultura, André Sturm, não admitiu que houve público menor e disse que vai aguardar os números oficiais, que devem ser divulgados ainda nesta segunda-feira, 22. Sobre a pouca adesão no Autódromo de Interlagos, ele também culpou a chuva. "Se eu tivesse filho pequeno, eu não levaria para Interlagos, levaria para um cinema, um teatro ou em lugares fechados. Entre levar o filho ao shopping para comer um Bob's e assistir a um cinema e ir para o autódromo aberto, com chuva, levaria ao shopping." Ele admitiu, porém, que algo deu errado no Anhembi, para onde deslocou os grandes shows, como o de Daniela Mercury. O público esperado, de 30 mil pessoas, acabou sendo de oito mil no sábado.

Muitos artistas que participaram do evento reclamaram da produção. "Esta é a pior organização que já vimos em 26 anos de carreira", escreveu a banda Dead Fish em suas redes sociais. O pianista Vitor Araújo, que tocou no palco Instrumental, escreveu que não lhe foram dadas "as mínimas e mais básicas condições para realizar o show na Virada Cultural." 

Mano Brown cancelou sua apresentação, marcada para o Centro Cultural Palhaço Carequinha, no Grajaú. Em sua página do Facebook, escreveu: "... Na sexta, por falta de organização interna do evento, a Virada não conseguiu entregar a estrutura mínima necessária para o show de uma banda de mais de 13 músicos. Se tudo estivesse pronto na sexta daria certo. Mesmo com a produção do artista cortando mais de 40% das exigências para o show e com todos cientes da complexidade que existia para realização do mesmo, não conseguimos evitar o cancelamento." / COLABOROU JULIANA DIÓGENES E JULIO MARIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.